Dois pensamentos aos leitores e leitoras deste blog.

Dois pensamentos de boas-vindas aos leitores e seguidores deste blog:
- Mesmo que vivas um século, nunca deixes de aprender!!!
- O importante não é saber tudo, e sim, nunca perder a capacidade de aprender!



sexta-feira, 4 de março de 2011

Retiro Popular: segundo domingo da quaresma / 19 de Março , Solenidade do Padroeiro da Igreja Universal, São José, esposo da Virgem Maria!!! / Participe conosco do Retiro da 1ª Semana da Quaresma / Veja também as novas novidades da semana... (Lusmar Paz - Aracoiaba-CE.)

Nota de Falecimento!!!
Aos conterrâneos aracoiabenses que residem noutras cidades, comunico-lhes o falecimento de D. Mariinha de Castro e Silva, (98 anos de idade)  domingo, dia 27/03/2011.
D. Mariinha, deixou para nós um grande exemplo de fé e confiança inabalável em Deus.
À família Castro e Silva, nossa solidariedade e orações.
 ------------------------------------------------------------
 25 de Março - Aniversário de Irmã Leticia Pelecco, religiosa paulina.



(Foto: Seus primeiros anos na Ordem das Irmãs Filhas de São Paulo)

Parabéns, Irmã Letícia!!!
Saúde, paz e vida longa pra vc!!!
Continue firme e forte na vivência e no anúncio da Palavra de Deus junto aos nossos irmãos!!!



(Foto atual - 50 Anos de vida religiosa  a serviço do Reino de Deus)

Conheci esta grande religiosa em São Luis-Maranhão, em 1991.Naquela  época, residia no Seminário Interdiocesano Santo Antônio, como seminarista ligado a Diocese de Brejo dos Anapurus - MA.
A Irmã Letícia marcou-me muito em minha vida seminarística. Foi amiga, irmã, conselheira e mãe. Foi tudo isso! Foi um presente de Deus em minha vida seminarística.

TURMA DO SÍTIO CONCEIÇÃO E VILA MARANHÃO, EM SÃO LUÍS,MA.


Eu e a Irmã Léticia, aos sábados, nos encontrávamos com esses jovens num trabalho voltado ao diálogo, confraternização e evangelização... Eram momentos de muitas riquezas e forte aprendizado mútuo.


Deus lhe abençoe, Irmã Letícia!!!
Receba os cumprimentos da família que compõe o blog lusmarpazleite!!!
Ir. Letícia
Receba do Céu, as bênças maternais de nossa Mãe!!!
-----------------------------
 2º Domingo da Quaresma
 Veja as leituras e a explicação do Evangelho deste domingo, 20/03/2011 
------------------------------
ESPECIAL - JOÃO DE DEUS!!!

Caríssimos seguidores e leitores deste blog,
A partir de hoje – 17/03 – estaremos postando assuntos voltados ao saudoso e querido Papa João Paulo II, o "João de Deus", em preparação a sua beatificação que ocorrerá dia 1º de maio de 2011.
Fraternalmente,
Lusmar Paz
 Aracoiaba-CE.
------------------------------------------
Seja bem-vindo, Mês de Março!
 Na 4ª Feira de Cinzas - Iniciamos hoje o "Período Quaresmal" e a "Campanha da Fraternidade 2011."
(O dia de hoje é de Jejum e Abstinência) 
Encontramo-nos reunidos  - como Igreja no  Brasil - para iniciarmos a caminhada quaresmal. Quarenta dias nos separam da grande festa da Páscoa. Neste tempo, procuremos trilhar o caminho da conversão proposto pelo Evangelho e pela Campanha da Fraternidade, que hoje nos leva a refletir sobre o tema: "Fraternidade e a vida no planeta" e sobre o lema: "A criação geme em dores de parto".
Uma proveitosa quaresma para todos nós!!!
 
Coloquemos nas mãos de Deus e sob a valorosa intercessão de São José, este mês de março!!!
--------------------- 


ÍNDICE GERAL
(Estamos preparando o “ÍNDICE GERAL. Aguarde-nos!)
------------------------------------------ 
 MÊS DE MARÇO
INTENÇÕES DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO

GERAL: Os países da América Latina.
Para que os países da América Latina possam crescer na fidelidade ao Evangelho e progredir na justiça social e na paz.

MISSIONÁRIA: Os cristãos perseguidos.


Para que o Espírito Santo ilumine e fortaleça as comunidades cristãs e os fiéis perseguidos e discriminados por causa do Evangelho em muitas partes do mundo.
------------------------------------------
Explicações!!! 

QUARESMA


- O que quer dizer "Quaresma"?
- Qual o significado destes 40 dias?
- O que os cristãos devem fazer no tempo da Quaresma?
- Ainda é costume jejuar durante este tempo?
- O que é a Campanha da Fraternidade?
- Como começou a Campanha da Fraternidade?
- Qual é a relação entre a Campanha da Fraternidade e a Quaresma?
- Quais são os rituais e tradições associados com este tempo?
Significado da Quarta-feira de Cinzas. 
Tire suas dúvidas neste blog!
 -----------------------------------------


Seguidores deste BLOG. A todos, minha gratidão!!!

Ceiça Gomes /  Raimundo José / Hélson e Ivani /  Marla Izeuda / Antônio do Rádio / Alberto V3 Maciel Costa / Linces / Felipe Brito / Lucas / Leilane / Alunos e Educadores do Projeto Garagem Digital de Aracoiaba / Domingos Pereira dos Santos / Código / Daylana Régia / Giuliano Guedes / Alberto Lourenço / Jonesi / Ivone Dalbosco / O Baturité / Artur Ricardo / Silmara Alves / 33 católico / Rogéria Oliveira / George / André Paulino / Carlos Alberto Torres Ferreira / Ivan Gondim / Silvana Nunes / Riasa / Francisco Hélio / Hilana / Sitonir / Áurea Sampaio / Blog Molungu / Antônio Siqueira / Maluco Virtual / Maluco Virtual / Lan / Rose Mary.

------------------------------- 

NOVIDADES DA SEMANA!!!

CONJUGADOR DE VERBOS

- VOCÊ, COM DOIS TOQUES, PODE CONJUGAR 280.000 VERBOS

CLIQUE NO SITE ABAIXO:


http://linguistica.insite.com.br/cgi-bin/conjugue 
---------------------------------- 

- DEZ MIL VÍDEOS DE MÚSICAS...
Este Link é para 10.000 vídeos de música entre os anos de 1904 e 2008.

 
http://www.planetarei.com.br/100anos/index.htm  
--------------------------------
- João Paulo II nas redes sociais 
- No domingo da Divina Misericórdia, beatificação do Papa JPII

- Programação da Beatificação de João Paulo II .


- O Magistério da Igreja recomenda Ler a Bíblia.



----------------------------------------------------------------------------------------------

Formações

Imagem de Destaque

Retiro Popular - Segundo Domingo Quaresma

Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça

Segunda semana da Quaresma Saulo, entretanto, respirava ameaças de morte contra os discípulos do Senhor. Apresentou-se ao sumo sacerdote e pediu-lhe cartas de recomendação para as sinagogas de Damasco, a fim de trazer presos para Jerusalém os homens e mulheres que encontrasse, adeptos do Caminho. Durante a viagem, quando já estava perto de Damasco, de repente viu-se cercado por uma luz que vinha do céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: “Saul, Saul, por que me persegues?” Saulo perguntou: “Quem és tu, Senhor?” A voz respondeu: “Eu sou Jesus, a quem tu estás perseguindo. Agora, levanta-te, entra na cidade, e ali te será dito o que deves fazer” (At 9,1-5).

Como Saulo, que depois se tornou Paulo, nossos caminhos nos proporcionaram uma graça, a maior de todas: o encontro com Jesus Cristo.
Na primeira semana da Quaresma, muitas surpresas podem ter ocorrido ao defrontar-nos com nossa situação humana. Quem sabe até descobrimos estar perseguindo Jesus! É que Ele se esconde e se mostra no próximo com o qual nos encontramos todos os dias. Ou podemos ter visitado páginas de nossa história que gostaríamos de ver arrancadas! E Deus nos levou ao deserto, alimentou-nos e sustentou-nos com sua Palavra de Vida.
Parece contraditório, mas a segunda semana começa com uma nova figura ou com transfiguração! É uma nova etapa do Caminho, e ele é sempre caminho de Páscoa! Os discípulos Pedro, Tiago e João, companheiros medrosos e ao mesmo tempo fiéis de Jesus em todas as jornadas, sobem com Ele ao monte da Transfiguração, que a tradição localizou no Tabor.

Olhar para Jesus, estar junto com testemunhas qualificadas como Moisés e Elias, entrar na nuvem com Jesus, ouvir a voz do Pai. Não são experiências exclusivas dos discípulos que, depois da Ressurreição de Jesus, espalharam a notícia. Subamos com eles ao monte, superando as dificuldades do caminho.
Durante a segunda semana do Retiro Popular, que a Palavra do Senhor se torne cântico para ritmar os nossos passos em nossa terra de peregrinos. Mesmo que a vida seja corrida, fazer retiro pede um tempo dedicado ao Senhor. Além disso, o Retiro será um modo de iluminar suas atividades cotidianas.
“Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, venha a vossa salvação”.

Gn 12,1-4a
Sl 32 (33),4-5.18-19.20.22 (R/. cf. 22)
2Tm 1,8b-10
Mt 17,1-9


Foto Dom Alberto Taveira Corrêa
Arcebispo de Belém - PA
Dom Alberto Taveira foi Reitor do Seminário Provincial Coração Eucarístico de Jesus em Belo Horizonte. Na Arquidiocese de Belo Horizonte foi ainda vigário Episcopal para a Pastoral e Professor de Liturgia na PUC-MG. Em Brasília, assumiu a coordenação do Vicariato Sul da Arquidiocese, além das diversas atividades de Bispo Auxiliar, entre outras. No dia 30 de dezembro de 2009, foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese de Belém - PA.
-----------------------------------------------
LITURGIA DIÁRIA - LEITURAS - MISSA - DOMINGO, 20/03/2011

Neste domingo da transfiguração, somos convidados a subir à montanha com Jesus e fazer a experiência da sua glória. A páscoa de Cristo se manifesta na comunidade que descobre no rosto desfigurado do pobre o rosto luminoso do Pai.


Primeira leitura (Gênesis 12,1-4a)

Domingo, 20 de Março de 2011
2º Domingo da Quaresma
Leitura do Livro do Gênesis:

1Naqueles dias, o Senhor disse a Abrão: “Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai, e vai para a terra que eu te vou mostrar. 2Farei de ti um grande povo e te abençoarei; engrandecerei o teu nome, de modo que ele se torne uma bênção. 3Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão abençoadas todas as famílias da terra!”.
4aE Abrão partiu, como o Senhor lhe havia dito.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

------------------------------------- 
Salmo (Salmos 32)

Domingo, 20 de Março de 2011
2º Domingo da Quaresma

— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,/ venha a vossa salvação!
— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,/ venha a vossa salvação!

— Pois reta é a palavra do Senhor,/ e tudo o que ele faz merece fé./ Deus ama o direito e a justiça,/ transborda em toda a terra a sua graça.
— Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,/ e que confiam esperando em seu amor,/ para da morte libertar as suas vidas/ e alimentá-los quando é tempo de penúria.
— No Senhor nós esperamos confiantes,/ porque ele é nosso auxílio e proteção!/ Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,/ da mesma forma que em vós nós esperamos!

---------------------------------------------------------

Segunda leitura (2º Timóteo 1,8b-10)
Domingo, 20 de Março de 2011
2º Domingo da Quaresma

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo:

Caríssimo: 8bSofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus.
9Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não devido às nossas obras, mas em virtude do seu desígnio e da sua graça, que nos foi dada em Cristo Jesus, desde toda a eternidade.
10Esta graça foi revelada agora, pela manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo. Ele não só destruiu a morte, como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do Evangelho.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.
------------------------------------------

EVANGELHO

2º Domingo da Quaresma
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. 2E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. 3Nisto apareceram-lhe Moisés e Elias, conversando com Jesus.
4Então Pedro tomou a palavra e disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 5Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo o meu agrado.
Escutai-o!”
6Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, tocou neles e disse: “Levantai-vos e não tenhais medo”.
8Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. 9Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: “Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
---------------------------------------- 

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO

O rosto resplandecente do Ressuscitado

Postado por: homilia

março 20th, 2011
Estamos no tempo quaresmal. Tempo de luta com o mal, as tentações, tristezas, angústias. Gememos juntamente com o nosso planeta qual mulher entre dores do parto, conforme a Campanha da Fraternidade deste ano. A radical transformação do mundo atual para o pecado, o crime, a droga, o homossexualismo, o divórcio, o desmatamento, ou seja a agressão ao meio ambiente e tantos outros males, parece ter deixado na sombra o sentido da vida, porque se tornou incapaz de escutar “a voz do silêncio suave” (1Rs 19,12), que ressoa das profundezas da história.
Por isso, surge também a dificuldade radical de enxergar qualquer outra dimensão da realidade que esteja acima ou por dentro da experiência humana. Não é mais capaz de ler os sinais da presença de Deus na nossa vida, dando a impressão de que a realidade seja algo inconsistente e sem valor, e que, no fim das contas, a história humana não passa de uma tremenda ilusão. No entanto, olhando mais em profundidade, a experiência da tristeza e da angústia e a agitação da vida moderna, tão repleta de conflitos, exprimem uma exigência de sentido e um desejo de serenidade e de paz.
Nesta ótica Jesus, no Evangelho de hoje, nos revela exatamente esta dimensão e pode ser um autêntico sinal de esperança também para o nosso tempo. É possível dar volta a tudo o que nos aflige e agride a natureza. Não se trata simplesmente de um “olhar” diferente do jeito comum de considerar as coisas, mas está em jogo uma “visão penetrante” de algo que pode mudar radicalmente a vida e o seu sentido.
Fazendo um recuo no tempo, Mateus busca as manifestações divinas do Antigo Testamento e nos apresenta uma cena repleta de luz: o rosto de Jesus resplandece como o sol, suas vestes são brancas como a luz, a nuvem também é luminosa. Os discípulos, diante de tão intensa luminosidade, caem com o rosto no chão, assustados, e necessitam do “toque e da palavra” de Jesus para se levantarem e superarem o susto. Contudo, após esta experiência que mostrou a identidade de Jesus, os discípulos, “levantando seus olhos não viram ninguém a não ser ele, Jesus só”. Na realidade, é este “Jesus só” que está a caminho de Jerusalém, que eles devem encarar escutar e seguir.
A visão luminosa da Transfiguração é reforçada também pelos personagens que entraram em cena: quando Moisés desceu do monte Sinai “seu rosto resplandecia” (Ex 34,29s); Elias foi arrebatado ao céu num “turbilhão de fogo” (2Rs 2,11; Sir 48,1-11). Mateus mostra que Jesus é o evento central no seu Evangelho, que tudo recria: o homem e a natureza, a partir da luminosidade que vem do Sinai, porque a missão que Jesus assumiu no batismo se concretiza agora ao longo do caminho da cruz, deixando vislumbrar a meta final: a glória do Filho de Deus.
Trata-se de um momento decisivo muito forte: o rosto luminoso de Jesus revela a sua verdadeira identidade aos discípulos para que, depois da Ressurreição, possam entender que o rosto resplandecente do Ressuscitado é o mesmo do Jesus Crucificado. Com efeito, somente à luz da Páscoa eles entendem quem é realmente Jesus e o sentido de sua morte violenta. Assim como o sol é a fonte da luz e “faz ver” as coisas como elas são, a luz da Transfiguração de Jesus “faz ver” a sua identidade messiânica: revela a divindade em sua humanidade. Aqui os discípulos ouvem a voz de Deus chamando Jesus de “Filho”, e, durante a paixão, ouvem Jesus chamando a Deus de “Pai” (26,39). Neste monte, a humanidade de Jesus deixa transparecer a sua divindade e, no Getsêmani, a divindade assume plenamente a sua humanidade.
O grande convite do Pai: “Escutai-o”, assim determina a missão dos discípulos: devem ser testemunhas da Ressurreição de Jesus, enfrentando o mesmo caminho do Filho, que, passando pela cruz, leva à gloria dos filhos de Deus. A partir desse momento, o Evangelho não é só Palavra a ser ouvida, mas também caminho a ser percorrido, pois o “seguimento” de Jesus, assumido de forma autêntica e vivido até as últimas consequências, mostra uma outra visão da realidade. “O que os olhos não viram e os ouvidos não ouviram” (1Cor 2,9), nem Moisés (Ex 33,20), nem Elias (1Rs 19,13) viram, mas aos discípulos é concedido ver “face a face” o rosto de Deus, que resplandece em Jesus de Nazaré.
Pai, que a Transfiguração leve-me a confessar Jesus como teu Filho amado, e a reconhecer que sou chamado a expressar o esplendor divino que trago dentro de mim.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Blog do Padre Bantu

 -----------------------------------------

POSTAGENS DA SEMANA.



 João Paulo II: Beatificação nas redes sociais


Quarta-Feira, 16 de Março de 2011






O Vaticano lançou hoje uma página oficial na rede social Facebook para a beatificação de João Paulo II (1920-2005), que vai decorrer no próximo dia 1 de maio.
Segundo o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, a intenção é passar uma “mensagem positiva”, através da Internet, acompanhando os preparativos para a cerimónia, que vai ser presidida por Bento XVI.
A iniciativa conta com a colaboração da Rádio e do Centro Televisivo do Vaticano, estendendo-se, além do Facebook (www.facebook.com/vatican.johnpaul2) ao canal de partilha de vídeos Youtube (www.youtube.com.giovannipaoloii).
Desde já, são apresentados pequenos filmes sobre o pontificado de João Paulo II, em várias línguas, tendo o Vaticano anunciado a intenção de “diversificar os instrumentos” disponibilizados.
No último dia 14 de janeiro, Bento XVI aprovou a publicação do decreto que comprova um milagre atribuído à intercessão de João Paulo II, concluindo assim o processo para a sua beatificação do Papa polaco, que liderou a Igreja Católica entre 1978 e abril de 2005, quando faleceu.
Em declarações à Rádio Vaticano, o padre Lombardi diz que a presença nas redes sociais visa “permitir a todas as pessoas interessadas que retomem o contato coma figura de João Paulo II”.
“Ficaremos felizes se outras páginas pessoais do Facebook quiserem ligar-se para partilhar esta riqueza de imagens e sons”, refere.
Milhões de pessoas são esperadas na cerimónia que vai ter lugar no Vaticano, no primeiro domingo depois da Páscoa (1 de maio), dia que o próprio João Paulo II dedicou à celebração da Divina Misericórdia.
O rito de beatificação vai ser presidido por Bento XVI, algo que só aconteceu até agora em setembro de 2010, no caso do beato John H. Newman, cardeal e pensador inglês do século XIX.





Fonte: Agência Ecclesia





Pastoral da Comunicação







 ----------------------------------------------
Dia 1º de Maio de 2011

No domingo da Divina Misericórdia


O Papa João Paulo II será beatificado no dia 1º de maio, que neste ano coincide com a festa da Divina Misericórdia, no segundo domingo da Páscoa.

Papa João Paulo II - "O Peregrino do Amor"

Quem fez o anúncio hoje foi o porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi SJ, após a divulgação da aprovação do decreto sobre o milagre atribuído à intercessão de Karol Wojtyla.
Uma nota da Congregação para as Causas dos Santos, publicada hoje pela Sala de Imprensa da Santa Sé, detalha o Iter da causa de beatificação de João Paulo II.
A data da beatificação do Papa polonês foi divulgada depois que, em 11 de janeiro, os cardeais e bispos da Congregação consideraram “milagrosa” a cura da freira Marie Pierre Simon, por intercessão de João Paulo II.
A causa de beatificação de João Paulo II, “por Dispensa Pontifícia, começou antes do decorrer de cinco anos a partir da morte do Servo de Deus, exigidos pela regulamentação vigente”, lembra o relatório publicado hoje.
“Este procedimento foi solicitado pela imponente fama de santidade” de João Paulo II, “em vida, em morte e depois da morte”, continua o texto.
“No demais, foram observadas integralmente as disposições canônicas a respeito das causas de beatificação e canonização”, esclarece a congregação.
A nota prossegue explicando o processo seguido para a beatificação do antecessor de Bento XVI: entre junho de 2005 e abril de 2007, houve uma investigação diocesana principal romana e as rogatórias em diversas dioceses sobre a vida, as virtudes, a fama de santidade e de milagres de João Paulo II.
“A validez jurídica dos processos canônicos foi reconhecida pela Congregação para as Causas dos Santos, com o Decreto de 4 de maio de 2007″, diz a nota.
“Em junho de 2009, examinada a respectiva Positio, nove consultores teólogos do dicastério deram o seu parecer positivo sobre as virtudes heroicas do Servo de Deus”, indica o texto.
“No seguinte mês de novembro, seguindo o procedimento habitual, a própria Positio foi então submetida ao parecer dos cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos, que se expressaram com sentença afirmativa.”
“Em 19 de dezembro de 2009, o Sumo Pontífice Bento XVI autorizou a promulgação do Decreto sobre as virtudes heroicas”, recorda a nota.
“Frente à beatificação do Venerável Servo de Deus, a Postulação da Causa apresentou ao exame da Congregação para as Causas dos Santos a cura do ‘Mal de Parkinson’ da irmã Marie Simon Pierre Normand, religiosa do Institut des Petites Soeurs des Maternités Catholiques.”
“Como de costume, as abundantes Atas da Investigação Canônica, regularmente instruída, junto aos detalhados exames médico-legais, foram submetidos ao exame científico da Comissão Médica da Congregação para as Causas dos Santos, em 21 de outubro de 2010.”
“Seus especialistas, tendo estudado com o rigor habitual os testemunhos do processo e todos os documentos, expressaram-se a favor da natureza cientificamente inexplicável da cura.”
“Os teólogos consultores, após examinarem as conclusões médicas, em 14 de dezembro de 2010 procederam à avaliação teológica do caso e, por unanimidade, reconheceram a singularidade, antecedência e coralidade da invocação dirigida ao Servo de Deus João Paulo II, cuja intercessão havia sido eficaz para os fins da prodigiosa cura.”
“Finalmente, em 11 de janeiro de 2001, realizou-se a sessão ordinária dos cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos, que emitiram uma unânime sentença afirmativa.”
Esta sentença, conclui a nota, considera “milagrosa a cura da Irmã Marie Pierre Simon, realizada por Deus de maneira cientificamente inexplicável, após a intercessão do Sumo Pontífice João Paulo II, invocado com confiança, tanto pela própria curada como por muitos outros fiéis”.
Fonte: Zenit.org --------------------------------------------------------

Programação da Beatificação de João Paulo II .

A beatificação do Papa Papa João Paulo II será um grande evento eclesial. Para tal, o Vaticano organiza uma programação especial para o evento do dia 1º de maio, que foi divulgado nesta sexta-feira, 18, através do Boletim da Santa Sé.
O roteiro será divido em cinco etapas, incluindo vigília de preparação, Missa da beatificação e veneração dos restos mortais do futuro beato.
Confira o cronograma:

Dia 30/04

- 20h às 22h30 (1h às 3h30 de 1° de maio, horário de Brasília): Vigília de preparação, no Circo Máximo de Roma, organizada pela Diocese de Roma. A vigília será conduzida pelo Vigário Geral para a Diocese de Roma, Cardeal Agostino Vallini. Na ocasião,o Papa  Bento XVI participará através de uma videoconferência.
Dia 01/05

- 10h (15h, horário de Brasília): Missa da beatificação, na Praça de São Pedro, presidida pelo Santo Padre. Não há a necessidade de bilhetes para o ingresso, mas o acesso à Praça e áreas adjacentes estará sob a protecção da segurança pública.
- Após a Missa: Veneração dos restos mortais do novo beato. Todos os fiéis poderão fazer sua veneração, que se estenderá até finalizar o fluxo de pessoas. Os restos mortais serão expostos na Basílica de São Pedro, em frente ao Altar da Confissão.

Dia 02/05

- 10h30 (15h30, horário de Brasília): Missa de Ação de Graças, na Praça de São Pedro, que será presidida pelo Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone. No mesmo dia, acontecerá o enterro dos restos mortais de João Paulo II, na Capela de São Sebastião, numa cerimônia privada.

------------------------------------
 

O Magistério da Igreja recomenda Ler a Bíblia.

A Igreja reconhece que muitos

anos se passaram e o povo perdeu

o costume, a vontade e o amor pela

Palavra de Deus.


Papa Bento XVI - Lendo a Bíblia.

O Bom Católico não é aquele que compra uma Bíblia e leva para casa, escolhendo um lugar bem vistoso na sala de estar e expondo as escrituras Sagradas ao vento e à poeira, mas é aquele que a lê e passa a conhecê-la, por isso a Igreja recomenda hoje não soemnte a leitura da Bíblia, mas como também a sua divulgação em alta escala e principalmente através da Internet, este novo veículo de comunicação que tanto é usado pelo mal em destruíão das almas.

Leia a Bíblia

.
 
BIBLIA SAGRADA



TABELA DE CALORIAS

PRATO---------------- QUANTIDADE-----------CALORIAS

Pão Francês----------------------------------------- 1 unidade-------------------135
Mussarela-------------------------------------------1 fatia 15mg -----------------47
Presunto cozido------------------------------------1 fatia 15 mg ----------------18
Maçã verde --------------------------------------1 unidade 130mg ----------79
Banana-da-terra-----------------------------------1 unidade 100mg ---------117
Leite integral---------------------- -----------------1 copo 240 ml -------------150
Omelete ---------------------------------------------porção 100mg--------- ----170

PRATO------------------QUANTIDADE---------- CALORIAS

Arroz com feijão--------------------------------2 colheres de sopa 40mg-----75
Coxa de frango---------------------------------1 unidade 100mg --------------144
Pescada cozida------------------------------1 filé 100g -----------------------97
Baby beef--------------------------------------- 1 unidade 100g-----------------120
Pizza de mussarela-------------------------- 1 fatia 140g----------------------304
Bróculis------------------------------------------ 1 pires de chá 80mg----------23
Tomate maduro------------------------------- 1 unidade 100g-----------------20

---------------------------------------------------
- CONFIRA RESUMO DO NOVO LIVRO DE BENTO XVI - JESUS DE NAZARÉ -NESTE BLOG.

---------------------------------------------

40 MIL VISUALIZAÇÕES.
Deus seja louvado!!!
Obrigado aos leitores e seguidores deste blog!!!
Deus abençoe a todos vocês!!!
Lusmar Paz

------------------------------ 


CARNAVAL


- Começa campanha de trânsito para o carnaval
- Cuidados com os riscos de lesões no carnaval
- Cuidados com o corpo durante o carnaval
- Grávidas precisam tomar cuidado com o calor, salto alto e exageros no carnaval...
- Lentes coloridas para brilhar no carnaval, requer cuidados


As respostas destas perguntas vocês encontrarão neste blog - mês de março / 2011 . Já estão postadas.
-------------------------------------- 

OFERECIMENTO DIÁRIO
PARA O APOSTOLADO DA ORAÇÃO 
 e para todos os cristãos...

Deus, nosso Pai,/ eu te ofereço todo o dia de hoje:/ minhas orações e obras,/ meus pensamentos e palavras,/ minhas alegrias e sofrimentos, / em reparação de nossas ofensas,/ em união com o Coração de teu Filho, Jesus,/que continua a oferecer-se a Ti, na eucaristia,/ pela salvação do mundo./ Que o Espírito Santo, que guiou a Jesus,/seja meu guia e meu amparo neste dia/ para que eu possa ser testemunha do teu amor./ Com Maria,/ Mãe de Jesus e da Igreja/ rezo especialmente pelas intenções do Santo Padre/ para este mês:/ para que os países da América Latina possam crescer na fidelidade ao Evangelho/ e progredir na justiça social e na paz./ E que o Espírito Santo ilumine e fortaleça as comunidades cristãs/ e os fiéis perseguidos e discriminados por causa do Evangelho/ em muitas partes do mundo.
--------------------------

Calendário Religioso – Março – 2011

041ª Sexta-feira do Mês; São Casimiro / 05 – Dia Mundial de Oração / 06 – 9º Domingo do Tempo Comum; Anúncio e motivação para o início da Quaresma e a abertura da Campanha da Fraternidade, na 4ª Feira de Cinzas./ 07 – Sta. Perpétua e Sta. Felicidade / 08 – São João de Deus; Dia da Mulher / 09Quarta-feira de Cinzas (dia de Jejum e Abstinência); Santa Francisca / 13 – 1º Domingo da Quaresma / 17 – São Patrício / 18 – São Cirilo de Jerusalém / 19Solenidade de São José, Padroeiro da Igreja Universal ; Dia onomástico do Santo Padre Bento XVI (Joseph) / 20 - 2º Domingo da Quaresma / 22 – Dia Mundial da Água / 23 – São Turíbio de Mogrovejo / 25 – Solenidade, Anunciação do Senhor / 27 – 3º Domingo da Quaresma .
Pesquisas: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil, 2011; Liturgia Diária,2011.

-----------------------------------------------------

Datas Comemorativas – Março - 2011

    *  02 - Dia Nacional do Turismo   
    Principais movimentações dessa importante área econômica.
 * 05 -Dia Mundial da Oração
      A importância da oração para o fortalecimento da fé.
  *  08 de Março - Dia Internacional da Mulher
Data marcada pela luta por melhores condições de vida para as mulheres
    * 10 - Dia do Telefone
      O aparelho que transformou e modernizou a vida do homem.
    *  14 - Dia Nacional da Poesia
      Homenagem a Castro Alves, o poeta dos escravos.
* 15 - Dia da Escola
      15 de Março, Dia da Escola, saiba mais Dia da Escola, veja curiosidades Dia da Escola, o dia da...
    *  21 - Dia da Floresta
      A ideia de um cidadão que conseguiu mostrar a importância de se plantar uma árvore.
    * 22 - Dia Mundial da Água
      A importância da água na vida do homem e os cuidados que devemos ter para sua preservação.
    * 23 - Dia do Meteorologista
      A história da meteorologia e sua importância para a vida do homem.
      .    *  25 - Dia da Constituição
      Definição de constituição e as principais decisões estabelecidas nas mesmas.
        * 27 -Dia do Circo
      Homenagem a Piolim, o maior palhaço do Brasil.
    * 27 - Dia Mundial do Teatro
      A história do teatro e seus principais gêneros: a tragédia e a comédia.

--------------------------------------
O que os cristãos devem fazer no tempo de Quaresma?
TABELA PARA O ANO DO SENHOR DE 2011.

 O ano de 2011 é ANO A (São Mateus) e as datas das festas móveis são as seguintes:

Epifania do Senhor ( Domingo02 de Janeiro
Batismo do Senhor (Domingo09 de Janeiro
Quarta-feira de Cinzas09 de Março.
Páscoa da Ressurreição – 24 de Abril
Ascensão do Senhor (Domingo) -  05 de Junho
Pentecostes- 12 de Junho
SS.Trindade -  19 de Junho
SS. Corpo e Sangue de Cristo (Quinta-feira) - 23 de Junho
Sagrado Coração de Jesus ( Sexta-feira) - 01 de Jjulho
São Pedro e São Paulo (Domingo) - 03 de Julho
Assunção de Nossa Senhora (Domingo) - 21 de Agosto
Todos os Santos -  06 de Novembro
Solenidade de Cristo – Rei - 20 de Novembro
1º Domingo do Advento - 27 de Novembro
Sagrada Família (Sexta-feira) - 30 de Dezembro
Virgem Mãe Aparecida, protegei-nos!
----------------------------------- 
FORMAÇÃO QUARESMAL

Imagem de Destaque

Retiro da primeira semana da Quaresma

Piedade Senhor, pois pecamos contra vós

A Quaresma tem a função de iniciar o caminho para a Páscoa. Sua missão é uma preparação que já antecipa e faz saborear os bens pascais. Começamos uma estrada de quarenta dias, um tempo da graça de Deus.

A primeira tentação de Jesus no deserto é a prova da fome, que recorda a fome do povo hebreu no deserto (Ex 16).
Um povo que murmura contra Deus. É a tentação da riqueza, da busca exclusiva ou excessiva dos bens materiais. O Senhor sai vencedor da provação, pois Ele não vive somente de pão, mas também da Palavra de Deus.
Depois vem a tentação do prodígio, querer transformar o poder de Deus em magia, colocando-o a serviço dos próprios interesses. Isto quer dizer pôr Deus à prova, tentar a Deus!
O povo no deserto também pediu prodígios, mas Jesus, em seu deserto, resiste à tentação!
Sua confiança no Pai é total (Dt 6,14-16). A provação continua quando Jesus é tentado a adorar um ídolo. Há muito tempo, outros adoraram um bezerro de ouro e agora Jesus se recusa heroicamente a prostrar-se diante de Satanás.

Ser fiel à nossa condição humana, sem mur murar contra o Senhor! É uma aventura maravilhosa a ser percorrida com a graça de Deus, que nos acompanha. Alguém nos toma pela mão, conduzindo nos ao porto seguro. Durante esta semana, é hora de passear pelos recantos de sua história, sem medo de enxergar muitos pontos escuros, deixando agora que a Palavra de Deus a ilumine. Converse com o Senhor sobre suas lutas mais frequentes e busque fontes de discernimento para crescer. Há quanto tempo você não confronta sua vida com a graça de Deus no Sacramento da Penitência? Já aproveitou alguma ocasião para conversar com uma pessoa mais firme na fé que possa ajudar? A semana de Retiro Popular começa na Missa Dominical, que será preparada com a leitura dos textos da Liturgia:
Na primeira semana da Quaresma, escolha um dia para fazer, de acordo com suas condições pessoais, o exercício do jejum ou um gesto de penitência ligado ao que você tem em alimento. Não se trata de negar o valor dos alimentos, mas escolher o que mais lhe convém para o crescimento da vida cristã. É bom dar aos pobres o correspondente à sua renúncia. Pode ser com a doação de uma cesta ou alguns mantimentos a quem necessita.


Roteiro diário

Oração: Reze esta oração, composta pelo papa Paulo VI. Pouco a pouco, você saberá repeti-la com calma e ser acompanhado por ela muitas vezes durante o ano.

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus! Um coração grande e forte para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos! Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa! Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, quando for necessário! Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir, humilde, fiel e firmemente a vontade do Pai. Amém.

Leitura orante da Palavra de Deus: Leia o texto indicado para cada dia, escolhendo o Evangelho do dia ou uma das leituras indicadas pela Igreja.

Gestos penitenciais: Três práticas acompanham nossa Quaresma: a oração, a penitência ou jejum e a caridade. Acolha nossas propostas e exercite a criatividade, descobrindo e atualizando estas práticas em sua vida diária.

Dia 13 de março, primeiro domingo da Quaresma
“Piedade, ó Senhor, tende piedade, pois pecamos contra vós”.
Gn 2,7-9;3,1-7
Sl 50 (51),3-4.5-6a.12-13.14.17 (R/. cf. 3a)
Rm 5,12-19
Mt 4,1-11



Foto Dom Alberto Taveira Corrêa
Arcebispo de Belém - PA

Dom Alberto Taveira foi Reitor do Seminário Provincial Coração Eucarístico de Jesus em Belo Horizonte. Na Arquidiocese de Belo Horizonte foi ainda vigário Episcopal para a Pastoral e Professor de Liturgia na PUC-MG. Em Brasília, assumiu a coordenação do Vicariato Sul da Arquidiocese, além das diversas atividades de Bispo Auxiliar, entre outras. No dia 30 de dezembro de 2009, foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese de Belém - PA.

13/03/2011 - 00h00
Tags: Conversão Quaresma vida nova comunhão mudança formação cancaonova

-------------------------------------
SITE: CANTO DA PAZ 

  1° Domingo da Quaresma
Evangelho: (Mt 4, 1-11) - Em seguida, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo tentador. Jejuou quarenta dias e quarenta noites, e depois teve fome. Aproximou-se, então, o tentador e lhe disse: “Se és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pão”. Mas Jesus respondeu: “Está escrito: Não é só de pão que vive o ser humano, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”…
…O tentador o levou, então, para a Cidade Santa, colocou-o no ponto mais alto do Templo e lhe falou: “Se és filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Porque está escrito: A teu respeito ordenou a seus anjos e eles te carregarão nas mãos, para não tropeçares em alguma pedra”. Jesus lhe disse: “Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus”. O tentador o levou ainda a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo com sua glória e lhe disse: “Tudo isso te darei se, caindo por terra, me adorares”. Jesus, então, lhe falou: “Afasta-te, Satanás, pois está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus e só a ele servirás”. Então o tentador o deixou e anjos se aproximaram para servi-lo.

ATENÇÃO : Temos duas explicações deste evangelho.

1ª Explicação: Site cantodapaz

As tentações de Jesus e as nossas!

jesus no deserto quaresma www.cantodapaz.com.br igreja catolica ordem franciscana irmas clarissas

Já estamos no primeiro Domingo da Quaresma. Temos pela frente quarenta dias que devem levar-nos a refletir, a orar e agir. Quaresma é tempo de jejum e abstinência, mas acima de tudo, é tempo de conversão.
Quaresma é um período especial para o cristão. É uma caminhada que deve ser alimentada pela oração e penitência em preparação aos acontecimentos centrais de nossa fé: a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus.
O período da quaresma representa os quarenta dias que Jesus passou no deserto preparando-se para assumir sua missão. Lembra os quarenta anos que o povo de Israel passou no deserto. Jesus, assim como os israelitas, sentiu fome e foi tentado pelo inimigo. O evangelista nos diz que Jesus não teve um só minuto de sossego.
Durante as vinte e quatro horas do dia o inimigo tentava fazê-lo mudar de idéia. Ele sabia dos objetivos de Jesus e não estava gostando nada, nada, dessa história de pregar a conversão e a aceitação da Palavra de Deus.
Excluindo-se o pecado, Jesus quis fazer-se semelhante a nós em tudo, até mesmo nas tentações por que passou. Por isso, também sentiu o assédio do inimigo. Também o nosso dia-a-dia é assim. Basta o inimigo perceber que estamos nos preparando para assumir a evangelização, e lá vem ele…
O inimigo vem disfarçado, como quem não quer nada. Oferece mundos e fundos para ver-nos desistindo. O fraco, o distante da oração, não resiste suas ofertas e desvia-se do objetivo. O mal tenta desestabilizar de todas as formas. Ele coloca pedrinhas em nossos sapatos. Faz de tudo para atrapalhar e desestimular.
Mateus diz que o Espírito conduziu Jesus para o deserto. Com isso, o evangelista quer ressaltar a obediência de Jesus e a importância de deixar-se guiar. No Espírito, Jesus encontrou forças para superar as provações e as tentações que se apresentaram em seu caminho.
Este exemplo de Jesus tem que ser seguido. O vencedor deixa-se guiar e entrega-se com fé. Porém, não podemos vacilar, é preciso estar atento, pois o inimigo não desiste e vai estar permanentemente, cochichando maravilhas, em nossos ouvidos.
Estar atento significa estar preparado. Jesus preparou-se para iniciar sua missão fazendo penitência. Jejuou e orou, durante os quarenta dias que ficou no deserto. Mais uma vez, Jesus quis mostrar-nos o poder da penitência e da oração.
Esta é a lição que aprendemos com o evangelho de hoje. O jejum e a oração são nossas armas e escudos protetores. Certamente, não nos isentam das tentações, porém são os meios mais eficazes para vencê-las.
Quaresma é tempo de aproximar-se do irmão e de viver a experiência da intimidade com Deus. Tempo de lembrar que Jesus Cristo foi traído. Tempo de meditar a perseguição, o calvário e sua morte. É tempo de profunda meditação e não de profunda tristeza.
Jesus venceu a morte, nessa verdade se baseia toda nossa fé, por isso, vamos viver a alegria e a esperança de vida eterna. É preciso deixar de lado o comodismo e dar continuidade ao trabalho iniciado por Jesus.
Mais do que nunca, vamos nos preparar para sua vinda Gloriosa vivendo intensamente a partilha e a fraternidade.
(fonte de texto: www.miliciadaimaculada.org.br  -  autor: Jorger Lorente  -  vídeo: Frei Gilson Frede, capuchinho (http://poco-da-palavra.blogspot.com))
--------------------------------------------

2ª Explicação: Site cancaonova

O mal sempre nos oferece atalhos


Estamos diante de um tripé de tentações que se resumem em: poder, prazer e posse. Depois que Jesus foi batizado por João Batista, foi levado ao deserto pelo Espírito para ser tentado pelo diabo. Que paradoxo: Deus Pai confirma a identidade do Seu filho, já o inimigo se aproxima e logo em seguida desafia o Mestre colocando em dúvida sua divindade.
Como vimos neste texto, Jesus inicia seu ministério com jejum, penitência e oração. Exercícios extenuantes e de grande esgotamento. O diabo aparece então para tentá-lo. Podemos perceber aqui que, esse momento, não se refere apenas às aflições normais do ministério. Há algo mais complexo que – creio eu – Jesus quer nos ensinar. Uma prova em particular. O dono da Salvação contra o pai da perdição. Vida contra a morte.
Essa guerra não foi só exterior, como vemos relatado, mas também uma luta interior. Jesus não enfrentaria somente perdas materiais, desprezos, oposições de religiosos, mas, também, confrontos espirituais.
A primeira tentação foi no deserto onde Satanás sugere a Cristo que as pedras se transformem em pão. Cristo teria poder de fazer isto. Se Ele transformou água em vinho, andou sobre as águas, fez paralíticos andar, ressuscitou mortos e acalmou tempestades, não poderia transformar pedras em pães? Com certeza, sim! Mas isto incluiria obedecer a Satanás e, em segundo lugar, teria “o alimento, o pão sem Deus”. Hoje isto significa conseguir riquezas sem Deus, trabalho desonesto, jogos de azar, burlar impostos, etc.
A segunda tentação foi a do pináculo do Templo onde foi sugerido malignamente que saltasse dali e desse ordem aos anjos para que o guardasse e isso com base num princípio bíblico. Satanás é sagaz e usa a Bíblia também. Mas o grande erro seria usar as coisas divinas ao seu prazer. Adaptar a Bíblia ao nosso gosto. “A fama ou prestígio sem Deus”. Um atalho para ser aclamado. Um reconhecimento fora de ordem. Foi uma tentativa maligna de “provar” o que não é necessária nenhuma prova.
A terceira tentação foi a do monte onde a glória deste mundo foi mostrada e ofertada, mas não gratuita e sim negociada. Ele poderia ter a glória deste mundo se prostrasse e adorasse a Satanás. Seria “poder ou governo sem Deus”. Se Jesus aceitasse, seria a glória do mundo sem a cruz, ou seja, sem Salvação. Hoje seria ter autoridade, reinar, subjugar, mas não sujeito a Deus e sim ao inimigo de Deus.
Mas Ele venceu as três tentações com três frases “está escrito”. Não foi o que o físico, as emoções e o lado espiritual queriam, mas sim o que havia sido escrito. A primeira resposta foi nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. As necessidades físicas não podem suplantar a obediência a Deus. A verdadeira vida está na dependência divina.
A segunda resposta foi de não tentar a soberania do Pai. “Não tentarás ao Senhor teu Deus”. Deus é bom demais para ser tentado por nós. É muita petulância da nossa parte, tentar ser “senhor” de Deus e não seu “servo”.
A terceira e última resposta nos coloca onde devemos sempre estar que é ser um exclusivo adorador de Deus. “Só o Senhor adorarás e só a Ele servirás”. Ele é único e exclusivo. Sua glória é irrepartível. Somente no reconhecimento de Deus e no esvaziamento nosso é que podemos encontrar a verdadeira vida espiritual.
Em todo esse relato, se analisado nos mínimos detalhes, podemos perceber inúmeros ensinamento para nós. Ao cumprir o “IDE” do Mestre com certeza seremos também provados. Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto. Isso mostra uma permissão da parte de Deus. O inimigo afronta Jesus com a própria Palavra. Ele também conhece as Escrituras.
Nossa vida espiritual deve ter também uma convalidação divina. Precisamos ter certeza de nossa missão no Reino de Deus. A preparação, a consagração (jejum) deve fazer parte de nossa vida espiritual. Termos consciência de que seremos tentados pelo inimigo e que isso será permitido por Deus. Em algum momento daremos de frente com ele e a Palavra de Deus deverá estar presente em nós, bem forte, para podermos vencer.
Seremos também levados ao deserto. Ou melhor, quando se trata de espiritual, vivemos no deserto. Contra o príncipe das trevas, não há diplomas, mestrados, doutorados, grandes currículos que poderá nos salvar. Embora nós, seres humanos, valorizamos muito isso – e não é errado, ao contrário se faz necessário – mas somente a certeza do que cremos e a Palavra de Deus poderá nos livrar e dar a vitória. Temos necessidades e fraquezas e é em meio de nossas fraquezas que o inimigo virá para nos contrapor. É necessário então intimidade com Deus e com Sua Palavra.
A grande lição das tentações de Jesus é que o mal sempre nos oferece “atalhos”. E são contra estes atalhos que devemos ter cuidado. Prazer (alimento, bebidas, sexo e drogas), Posse (fama, prestígios, o ter bens materiais) e Poder (governo) são coisas interessantes que mexe com o nosso físico, a nossa alma e o nosso lado espiritual. No entanto, nada disso terá valor para nós se for sem Deus. Qualquer coisa, por melhor que seja que nos afaste do Senhor, deve ser abandonado. Somente com Deus, na Sua presença e para a Sua glória, devemos viver. Jesus embora sendo o Filho de Deus, levava uma vida constante de oração. Ele nos ensinou como devemos orar. É na oração que alcançamos intimidade com Deus. Quanto mais oramos mais teremos certeza da Sua vontade.
Pai, como Jesus, quero ser fiel a Ti, sem jamais exigir manifestações extraordinárias de teu amor por mim. Basta-me estar ciente de ser teu filho.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Blog do Padre Bantu
 -----------------------------------
PERÍODO QUARESMAL - EXPLICAÇÕES...

- O que quer dizer "Quaresma"?
- Qual o significado destes 40 dias?
- O que os cristãos devem fazer no tempo da Quaresma?
- Ainda é costume jejuar durante este tempo?
- O que é a Campanha da Fraternidade?
- Como começou a Campanha da Fraternidade?
- Qual é a relação entre a Campanha da Fraternidade e a Quaresma?
- Quais são os rituais e tradições associados com este tempo?
- Significado da Quarta-feira de Cinzas.
Leiam as respostas abaixo:
O que os cristãos devem fazer no tempo de Quaresma?
O que os cristãos devem fazer no tempo de Quaresma?
Página Inicial
O Tempo da Quaresma
 O que quer dizer Quaresma?
        A palavra Quaresma vem do latim quadragésima e é utilizada para designar o período de quarenta dias que antecedem a festa ápice do cristianismo: a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no famoso Domingo de Páscoa. Esta prática data desde o século IV.
        Na quaresma, que começa na quarta-feira de cinzas e termina na quinta-feira (até a Missa da Ceia do Senhor, exclusive - Diretório da Liturgia - CNBB) da Semana Santa, os católicos realizam a preparação para a Páscoa. O período é reservado para a reflexão, a conversão espiritual. Ou seja, o católico deve se aproximar de Deus visando o crescimento espiritual. Os fiéis são convidados a fazerem uma comparação entre suas vidas e a mensagem cristã expressa nos Evangelhos. Esta comparação significa um recomeço, um renascimento para as questões espirituais e de crescimento pessoal. O cristão deve intensificar a prática dos princípios essenciais de sua fé com o objetivo de ser uma pessoa melhor e proporcionar o bem para os demais.
        Essencialmente, o período é um retiro espiritual voltado à reflexão, onde os cristãos se recolhem em oração e penitência para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo, Ressuscitado no Domingo de Páscoa. Assim, retomando questões espirituais, simbolicamente o cristão está renascendo, como Cristo. Todas as religiões têm períodos voltados à reflexão, eles fazem parte da disciplina religiosa. Cada doutrina religiosa tem seu calendário específico para seguir. A cor litúrgica deste tempo é o roxo, que significa luto e penitência.         Cerca de duzentos anos após o nascimento de Cristo, os cristãos começaram a preparar a festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. Por volta do ano 350 d. C., a Igreja aumentou o tempo de preparação para quarenta dias. Assim surgiu a Quaresma.
 Qual o significado destes 40 dias?
        Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material. Os zeros que o seguem significam o tempo de nossa vida na terra, suas provações e dificuldades. Portanto, a duração da Quaresma está baseada no símbolo deste número na Bíblia. Nela, é relatada as passagens dos quarenta dias do dilúvio, dos quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, dos quarenta dias de Moisés e de Elias na montanha, dos quarenta dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública, dos 400 anos que durou a estada dos judeus no Egito, entre outras. Esses períodos vêm sempre antes de fatos importantes e se relacionam com a necessidade de ir criando um clima adequado e dirigindo o coração para algo que vai acontecer.
 O que os cristãos devem fazer no tempo de Quaresma?
        A Igreja católica propõe, por meio do Evangelho proclamado na quarta-feira de cinzas, três grandes linhas de ação: a oração, a penitência e a caridade. Não somente durante a Quaresma, mas em todos os dias de sua vida, o cristão deve buscar o Reino de Deus, ou seja, lutar para que exista justiça, a paz e o amor em toda a humanidade. Os cristãos devem então recolher-se para a reflexão para se aproximar de Deus. Esta busca inclui a oração, a penitência e a caridade, esta última como uma conseqüência da penitência.
 Ainda é costume jejuar durante este tempo?
        Sim, ainda é costume jejuar na Quaresma, ainda que ele seja válido em qualquer época do ano. A igreja propõe o jejum principalmente como forma de sacrifício, mas também como uma maneira de educar-se, de ir percebendo que, o que o ser humano mais necessita é de Deus. Desta forma se justifica as demais abstinências, elas têm a mesma função.
        Oficialmente, o jejum deve ser feito pelos cristãos batizados, na quarta-feira de cinzas e na sexta-feira santa. Pela lei da igreja, o jejum é obrigatório nesses dois dias para pessoas entre 18 e 60 anos. Porém, podem ser substituídos por outros dias na medida da necessidade individual de cada fiel, e também praticados por crianças e idosos de acordo com suas disponibilidades.
        O jejum, assim como todas as penitências, é visto pela igreja como uma forma de educação no sentido de se privar de algo e reverte-lo em serviços de amor, em práticas de caridade. Os sacrifícios, que podem ser escolhidos livremente, por exemplo: um jovem deixa de mascar chicletes por um mês, e o valor que gastaria nos doces é usado para o bem de alguém necessitado.
 O que é a Campanha da Fraternidade?
        O percurso da Quaresma é acompanhado pela realização da Campanha da Fraternidade – a maior campanha da solidariedade do mundo cristão. Cada ano é contemplado um tema urgente e necessário.
        A Campanha da Fraternidade é uma atividade ampla de evangelização que ajuda os cristãos e as pessoas de boa vontade a concretizarem, na prática, a transformação da sociedade a partir de um problema específico, que exige a participação de todos na sua solução. Ela tornou-se tão especial por provocar a renovação da vida da igreja e ao mesmo tempo resolver problemas reais.
        Seus objetivos permanentes são: despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem comum; educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor: exigência central do Evangelho. Renovar a consciência da responsabilidade de todos na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária.
        Os temas escolhidos são sempre aspectos da realidade sócio-econômico-política do país, marcada pela injustiça, pela exclusão, por índices sempre mais altos de miséria. Os problemas que a Campanha visa ajudar a resolver, se encontram com a fraternidade ferida, e a fé, tem o compromisso de restabelecê-la. A partir do início dos encontros nacionais sobre a CF, em 1971, a escolha de seus temas vem tendo sempre mais ampla participação dos 16 Regionais da CNBB que recolhem sugestões das Dioceses e estas das paróquias e comunidades.
 Como começou a Campanha da Fraternidade?
        Em 1961, três padres responsáveis pela Cáritas Brasileira idealizaram uma campanha para arrecadar fundos para as atividades assistenciais e promocionais da instituição e torná-la autônoma financeiramente. A atividade foi chamada Campanha da Fraternidade e realizada pela primeira vez na quaresma de 1962, em Natal-RN, com adesão de outras três Dioceses e apoio financeiro dos Bispos norte-americanos. No ano seguinte, 16 Dioceses do Nordeste realizaram a campanha. Não teve êxito financeiro, mas foi o embrião de um projeto anual dos Organismos Nacionais da CNBB e das Igrejas Particulares no Brasil, realizado à luz e na perspectiva das Diretrizes Gerais da Ação Pastoral (Evangelizadora) da Igreja em nosso País.
        Este projeto se tornou nacional no dia 26 de dezembro de 1963, com uma resolução do Concílio Vaticano II, a maior e mais importante reunião da igreja católica. O projeto realizou-se pela primeira vez na quaresma de 1964. Ao longo de quatro anos seguidos, por um período extenso em cada um, os Bispos ficaram hospedados na mesma casa, em Roma, participando das sessões do Concílio e de diversos momentos de reunião, estudo, troca de experiências. Nesse contexto, nasceu e cresceu a Campanha da Fraternidade.
 Qual é a relação entre Campanha da Fraternidade e a Quaresma?
        A Campanha da Fraternidade é um instrumento para desenvolver o espírito quaresmal de conversão e renovação interior a partir da realização da ação comunitária, que para os católicos, é a verdadeira penitência que Deus quer em preparação da Páscoa. Ela ajuda na tarefa de colocar em prática a caridade e ajuda ao próximo. É um modo criativo de concretizar o exercício pastoral de conjunto, visando a transformação das injustiças sociais.
        Desta forma, a Campanha da Fraternidade é maneira que a Igreja no Brasil celebra a quaresma em preparação à Páscoa. Ela dá ao tempo quaresmal uma dimensão histórica, humana, encarnada e principalmente comprometida com as questões específicas de nosso povo, como atividade essencial ligada à Páscoa do Senhor.
 Quais são os rituais e tradições associados com este tempo?
        As celebrações têm início no Domingo de Ramos, ele significa a entrada triunfal de Jesus, o começo da Semana Santa. Os ramos simbolizam a vida do Senhor, ou seja, Domingo de Ramos é entrar na Semana Santa para relembrar aquele momento.
        Depois, celebra-se a Ceia do Senhor, realizada na quinta-feira santa, conhecida também como o lava pés. Ela celebra Jesus criando a eucaristia, a entrega de Jesus e portanto, o resgate dos pecadores.
        Depois, vem a celebração da Sexta-feira da Paixão, também conhecida como sexta-feira santa, que celebra a morte do Senhor, às 15 horas. Na sexta à noite geralmente é feita uma procissão ou ainda a Via Sacra, que seria a repetição das 14 passagens da vida de Jesus.
        No sábado à noite, o Sábado de Aleluia, é celebrada a Vigília Pascal, também conhecida como a Missa do Fogo. Nela o Círio Pascal é acesso, resultando as cinzas. O significado das cinzas é que do pó viemos e para o pó voltaremos, sinal de conversão e de que nada somos sem Deus. Um símbolo da renovação de um ciclo. Os rituais se encerram no domingo, data da ressurreição de Cristo, com a Missa da Páscoa, que celebra o Cristo vivo.

Fonte: CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
           Arquidiocese de São Paulo - Vicariato da Comunicação

-----------------------------

Quarta feira de Cinzas - O significado das cinzas

Quarta feira de Cinzas
- Início da Quaresma –
“Tempo de penitência e conversão.”
Lançamento da Campanha da Fraternidade 2011.


O significado das cinzas
O uso litúrgico das cinzas tem sua origem no Antigo Testamento. As cinzas simbolizam dor, morte e penitência. Por exemplo, no livro de Ester, Mardoqueu se veste de saco e se cobre de cinzas quando soube do decreto do Rei Asuer I (Xerxes, 485-464 antes de Cristo) da Pérsia que condenou à morte todos os judeus de seu império. (Est 4,1). Jó (cuja história foi escrita entre os anos VII e V antes de Cristo) mostrou seu arrependimento vestindo-se de saco e cobrindo-se de cinzas (Jó 42,6). Daniel (cerca de 550 antes de Cristo) ao profetizar a captura de Jerusalém pela Babilônia, escreveu: "Volvi-me para o Senhor Deus a fim de dirigir-lhe uma oração de súplica, jejuando e me impondo o cilício e a cinza" (Dn 9,3). No século V antes de Cristo, logo depois da pregação de Jonas, o povo de Nínive proclamou um jejum a todos e se vestiram de saco, inclusive o Rei, que além de tudo levantou-se de seu trono e sentou sobre cinzas (Jn 3,5-6). Estes exemplos retirados do Antigo Testamento demonstram a prática estabelecida de utilizar-se cinzas como símbolo (algo que todos compreendiam) de arrependimento.

O próprio Jesus fez referência ao uso das cinzas. A respeito daqueles povos que recusavam-se a se arrepender de seus pecados, apesar de terem visto os milagres e escutado a Boa Nova, Nosso Senhor proferiu: "Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e as cinzas. (Mt 11,21) A Igreja, desde os primeiros tempos, continuou a prática do uso das cinzas com o mesmo simbolismo. Em seu livro "De Poenitentia" , Tertuliano (160-220 DC), prescreveu que um penitente deveria "viver sem alegria vestido com um tecido de saco rude e coberto de cinzas". O famoso historiador dos primeiros anos da igreja, Eusébio (260-340 DC), relata em seu livro A História da Igreja, como um apóstata de nome Natalis se apresentou vestido de saco e coberto de cinzas diante do Papa Ceferino, para suplicar-lhe perdão. Sabe-se que num determinado momento existiu uma prática que consistia no sacerdote impor as cinzas em todos aqueles que deviam fazer penitência pública. As cinzas eram colocadas quando o penitente saía do Confessionário.

Já no período medieval, por volta do século VIII, aquelas pessoas que estavam para morrer eram deitadas no chão sobre um tecido de saco coberto de cinzas. O sacerdote benzia o moribundo com água benta dizendo-lhe: "Recorda-te que és pó e em pó te converterás". Depois de aspergir o moribundo com a água benta, o sacerdote perguntava: "Estás de acordo com o tecido de saco e as cinzas como testemunho de tua penitência diante do Senhor no dia do Juízo?" O moribundo então respondia: "Sim, estou de acordo". Se podem apreciar em todos esses exemplos que o simbolismo do tecido de saco e das cinzas serviam para representar os sentimentos de aflição e arrependimento, bem como a intenção de se fazer penitência pelos pecados cometidos contra o Senhor e a Sua igreja. Com o passar dos tempos o uso das cinzas foi adotado como sinal do início do tempo da Quaresma; o período de preparação de quarenta dias (excluindo-se os domingos) antes da Páscoa da Ressurreição. O ritual para a Quarta-feira de Cinzas já era parte do Sacramental Gregoriano. As primeiras edições deste sacramental datam do século VII. Na nossa liturgia atual da Quarta-feira de Cinzas, utilizamos cinzas feitas com os ramos de palmas distribuídos no ano anterior no Domingo de Ramos. O sacerdote abençoa as cinzas e as impõe na fronte de cada fiel traçando com essas o Sinal da Cruz. Logo em seguida diz: "Recorda-te que és pó e em pó te converterás" ou então "Arrepende-te e crede no Evangelho".

Devemos nos preparar para o começo da Quaresma compreendendo o significado profundo das cinzas que recebemos. É um tempo para examinar nossas ações atuais e passadas e lamentarmo-nos profundamente por nossos pecados. Só assim poderemos voltar nossos corações genuinamente para Nosso Senhor, que sofreu, morreu e ressuscitou pela nossa salvação. Além do mais esse tempo nos serve para renovar nossas promessas batismais, quando morremos para a vida passada e começamos uma nova vida em Cristo.

Finalmente, conscientes que as coisas desse mundo são passageiras, procuremos viver de agora em diante com a firme esperança no futuro e a plenitude do Céu.


BÊNÇÃO E IMPOSIÇÃO DAS CINZAS 
NO INÍCIO DA QUARESMA

Aceitando que nos imponham as cinzas, expressamos duas realidades fundamentais:

1. Somo criaturas mortais; tomar consciência de nossa fragilidade, de inevitável fim de nossa existência terrestre, nos ajuda a avaliar melhor os rumos que compete dar à nossa vida: "você é pó, e ao pó voltará" (Gn 3, 19). Somo chamado;

2. Somos chamados a nos converter ao Evangelho de Jesus e sua proposta do Reino, mudando nossa maneira de ver, pensar, agir.

Muitas comunidades sem padre assumiram esse rito significativo como abertura da quaresma anual, realizando-o numa celebração da Palavras.

Veja mais embasamentos bíblicos sobre as cinzas através das seguintes passagens: (Nm 19; Hb 9,13); como sinal de transitoriedade (Gn 18,27; Jó 30,19). Como sinal de luto (2Sm 13,19; Sl 102,10; Ap 19,19). Como sinal de penitência (Dn 9,3; Mt 11,21). Faça uma pesquisa através de todas estas passagens bíblicas, prestando a atenção ao texto e seu contexto, relacionando com a vida pessoal, comunitária, social e com o rito litúrgico da Quarta-feira de cinzas.

OBS: FONTE - MISSAL DOMINICAL, página de 140, © Paulus, 1997
-------------------------------------------

QUARESMA
 
Quaresma: façamos juntos esse caminho O centro de nossa fé cristã é o Mistério Pascal, a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Para vivenciarmos de forma mais concreta e plena essa realidade, nossa Mãe Igreja nos oferece um tempo privilegiado de preparação, a Quaresma. Neste mês de março, a partir do dia 9, Quarta-feira de Cinzas, somos convocados pela Igreja para percorrer um caminho em direção de um conhecimento mais profundo da Pessoa de Jesus.

Neste tempo quaresmal, temos a oportunidade de avançar em uma intimidade maior com o Senhor. Digo avançarmos, porque a cada ano a Igreja não nos propõe um repetitivo exercício espiritual que nos permita dizer: "De novo estamos na Quaresma", como, se neste ano, você fosse viver da mesma forma que os outros anos. Não! Definitivamente estamos diante de uma nova oportunidade de, conhecendo mais a Pessoa de Cristo, nos esforçarmos de maneira decidida para correspondermos a Seu grande amor por nós, que chegou a ponto de se entregar por nós em uma cruz.

A Igreja nos propõe o Jejum como uma das inúmeras formas para vivenciarmos bem este tempo de crescimento e conversão. Contudo, ele em nada pode ser comparado com um regime alimentar ou com um tempo em que passamos fome. Explico de forma bem simples o que é o jejum e as várias maneiras possíveis de fazê-lo em um pequeno livrinho de minha autoria: "Práticas de Jejum", da Editora Canção Nova. Essa prática nos ajuda a crescer em disciplina e nos dispõe para a oração.

A correspondência ao amor de Jesus Cristo nos compromete com Ele e também com os irmãos. Dessa forma, este tempo de conversão nos coloca a percorrer um caminho de crescimento individual-espiritual, lado a lado com um caminho de crescimento fraterno-social. Uma Quaresma bem vivida toca e transforma essas duas realidades, sempre nos conduzindo a uma conformação com a vida de Jesus Cristo.

Por fim, o objetivo maior que almejamos alcançar nesse período quaresmal não é outro senão uma vida mais santa. Convido vocês, meus irmãos e minhas irmãs, companheiros de missão, a se esforçarem para não ser desclassificados nessa caminhada rumo à santidade. Nossa caminhada se inicia com a Quaresma, nosso percurso é a própria vida de Jesus Cristo e nossa meta final é o Céu. Queremos neste mês, com nossa evangelização, alcançar o máximo de pessoas para que ninguém fique desclassificado pelo meio do caminho. Conto com sua ajuda e esforço pessoal. Juntos estaremos nos preparando para celebrar bem o Mistério da Ressurreição do Senhor que coroa este tempo forte de oração.

"Concedei-nos, ó Deus onipotente que, ao longo desta Quaresma, possamos progredir no conhecimento de Jesus Cristo e corresponder a seu amor por uma vida santa" (Oração do dia do Primeiro Domingo da Quaresma).


Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova
-------------------------------------


Campanha da Fraternidade 2011

cfarquidiocesesorocaba.com


Tema: Fraternidade e a Vida no Planeta.
Lema "A Criação Geme em Dores de parto" (Rm 8,22).



APRESENTAÇÃO

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propõe a cada ano, através da Campanha da Fraternidade (CF), um itinerário evangelizador fortemente voltado para a conversão pessoal e comunitária, em preparação à Páscoa. Em 2011, a CF atinge um marco importante pela 47ª vez!
Os objetivos gerais da CF são sempre os mesmos e decorrem da missão evangelizadora que a Igreja recebeu de Jesus Cristo: em vista do mandamento do amor fraterno, despertar e nutrir o espírito comunitário no meio do povo e a verdadeira solidariedade na busca do bem comum; educar para a vida fraterna, a partir da justiça e do amor, que são exigências centrais do Evangelho; renovar a consciência sobre a responsabilidade de todos na ação evangelizadora da Igreja, na promoção humana e na edificação de uma sociedade justa e solidária.

Durante esses quarenta e sete anos, a CF passou por três fases distintas: no início, os temas eram mais relacionados com a renovação da Igreja (1964 e 1965) e a renovação pessoal do cristão (1966 a 1972). Na segunda fase (1973 a 1984), a preocupação era mais voltada para a realidade social mediante a denúncia do pecado social e a promoção da justiça (Gaudium ET Spes, Medellín e Puebla). Na terceira fase (de 1985 até o presente), a Igreja no Brasil propõe temas de reflexão e conversão relativos às várias situações sociais e existenciais do povo brasileiro, que requerem maior fraternidade.

Em 2011 estaremos falando sobre meio ambiente, a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas – causas e conseqüências. Tema: Fraternidade e a Vida no Planeta; Lema "A Criação Geme em Dores de parto", (Rm 8,22). Não há como não se dar conta que esta campanha esta ligada a Campanha de 2010, ora o fator econômico não esta relacionado à situação de nosso planeta hoje? Somos todos moradores de uma mesma casa, gostando disso ou não estamos interligados. Não há como simplesmente virar as costas e não se importar, afinal se ocorresse uma catástrofe a nível global para onde iríamos? Aquecimento global, mudanças geológicas nada mais é do que reações as nossas ações. A Campanha da Fraternidade de 2011, de maneira primorosa como sempre, vem justamente nos alertar desta verdade tudo o que fazemos pode prejudicar ou ajudar a salvar nosso planeta nos dá a oportunidade de como uma família sentarmos juntos e elaborarmos ações para salvar a nossa casa.

Em cada catástrofe seja ela terremotos, inundações, podemos sentir o planeta gemer, e a humanidade fazendo o mesmo, este gemido tem uma conotação de tristeza imensa. Ainda estamos em tempo hábil para reverter esta situação podemos transformar estes gemidos de dor em gemidos de amor e de esperança, sim podemos iniciar um período de gestação e após este período em que nos organizaremos com ações que ajudem a preservar o meio ambiente, receberemos de volta um planeta saudável, resgataremos o planeta que nos foi dado por Deus. 

Esta campanha não é uma utopia e sim um alerta de que atitudes devem ser tomadas, não por uma minoria, mas por um todo, este planeta é nossa casa, precisamos ser fraternos, gerar ações que nos levem ao bem comum.
E para reforçar nossas expectativas aos Gestos Concretos que com certeza surgirão em nossas Paróquias, Sociedade através da conversão individual e coletiva nesta quaresma, sugerimos para nos estimular ao amor fraterno entre irmãos e irmãs comprometidos com o Meio Ambiente, louvarmos ao Senhor como São Francisco de Assis o fez por todas as criaturas que fazem parte da vida planetária.

Que a oração em que São Francisco louva a Deus pelas criaturas, nos inspire novas atitudes e nos ajude a ser transformados pelo Espírito de Deus de modo a resgatarmos atitudes de quem cultiva e cuida do seu jardim, esta obra maravilhosa, que hoje requer socorro dos autênticos filhos de Deus, e de todos aqueles que empreendem ações sinceras e despojadas em favor do planeta.

CÂNTICO DAS CRIATURAS SÃO FRANCISCO DE ASSIS!
Altíssimo, onipotente e bom Deus, teus são o louvor,
a glória, a honra e toda benção.
Só a Ti, Altíssimo, são devidos, e homem algum
é digno de Te mencionar.
Louvado sejas, meu Senhor, com todas as Tuas criaturas.
Especialmente o irmão Sol, que clareia o dia
e com sua luz nos ilumina.
Ele é belo e radiante, com grande esplendor de Ti,
Altíssimo é a imagem.
Louvado sejas meu Senhor, pela irmã Lua e as Estrelas,
que no céu formastes claras, preciosas e belas.
Louvado sejas meu Senhor, pelo irmão Vento,
pelo ar ou neblina, ou sereno e de todo tempo,
pelo qual às Tuas criaturas dais sustento.
Louvado sejas meu Senhor, pela irmã Água,
que é muito útil, humilde, preciosa e casta.
Louvado sejas meu Senhor, pelo irmão Fogo,
pelo qual iluminas a noite, e ele é belo e alegre, vigoroso e forte.
Louvado sejas meu Senhor, pela nossa irmã a mãe Terra,
que nos sustenta e nos governa, e produz frutos diversos,
e coloridas flores e ervas.
Louvado sejas meu Senhor, pelos que perdoam
por Teu amor e suportam enfermidades e tribulações.
Bem-aventurados os que sustentam a paz, que por Ti,
Altíssimo serão coroados.
Louvado sejas meu Senhor, pela nossa irmã a morte corporal,
da qual homem algum pode escapar.
Ai dos que morrem em pecado mortal!
Felizes os que ela achar conforme a Tua Santíssima vontade,
porque a segunda morte não lhes fará mal.
Louvai e bendizei ao meu Senhor, e daí-lhes graças
e servi-O com grande humildade.
Amém
-----------------------------------
Quinta-feira, 10 de março de 2011, 16h27

Confira resumo do novo livro de Bento XVI

Leonardo Meira
Da Redação, com informações da Rádio Vaticano (em italiano - tradução de CN Notícias)


Montagem sobre fotos / AP e Reuters
Livro de Bento XVI já foi lançado com mais de 1 milhão de exemplares reservados
A segunda parte da obra "Jesus de Nazaré", de Joseph Ratzinger - Bento XVI, foi lançada nesta quinta-feira, 10. A obra está dividida em nove capítulos e é dedicada aos momentos que precederam a morte de Jesus e a sua ressurreição, mostrando as palavras e acontecimentos decisivos da vida de Cristo.

Acesse
.: Segundo volume de "Jesus de Nazaré" é lançado em 7 idiomas

A seguir, confira um resumo dos principais pontos abordados em cada um dos capítulos da obra:

Capítulo 1 – Fala sobre a entrada de Jesus em Jerusalém, recebido com festa pela multidão, sentado sobre um jumentinho, como “um rei da paz e um rei da simplicidade, um rei dos pobres”. Não é um revolucionário político, “não se fundamenta sobre a violência; não inicia uma revolta militar contra Roma. O seu poder é de caráter contrário: é na pobreza de Deus, na paz de Deus que Ele identifica o único poder salvífico”, salienta Bento XVI.

O Santo Padre destaca que a violência não instaura o Reino de Deus. Ao contrário, é um dos instrumentos preferidos do anticristo, não servindo à humanidade, e sim desumanizando-a. “Jesus não vem como destruidor; não vem com a espada do revolucionário. Vem com o dom da cura”. Cristo, salienta o Bispo de Roma, dedica-se àqueles que, por causa de suas enfermidades, são colocados a margem da sociedade, mostrando Deus como Aquele que ama.

Particularmente, Ele é recebido com alegria pelos pequenos, “por aqueles que são capazes de ver com o coração puro e com simplicidade e que são abertos a sua bondade”, enfatiza o Papa. No dia seguinte à entrada em Jerusalém, Jesus combate a relação entre religião e comércio, salientando que o tempo se tornou um covil de ladrões.

Capítulo 2 – Após a entrada em Jerusalém, é proclamado “o grande discurso escatológico de Jesus, com os temas centrais da destruição do templo, da destruição de Jerusalém, do Juízo final e do fim do mundo”. Jesus, conta o Pontífice, tantas vezes quis acolher os filhos de Jerusalém, mas eles não quiseram, e depois os romanos destróem o templo e fazem um massacre dos judeus.

Para o judaísmo, “a destruição do templo deve ter sido um grande choque”: com o fim dos sacrifícios expiatórios eles não poderiam fazer nada que compensasse o mal crescente no mundo. Mas, com Jesus, “é superada a época do tempo de pedra. Inicio-se algo novo. Jesus mesmo é colocado no lugar do tempo, é Ele o novo templo, é a presença de Deus vivente. Nele Deus e homem, Deus e o mundo se encontram”. No seu amor, desfaz-se todo o pecado do mundo.

Jesus, no discurso escatológico, fala do tempo dos pagãos, localizado entre a destruição de Jerusalém e do fim do mundo: durante esse tempo, “o Evangelho deve ser levado a todo o mundo e a todos os homens: somente depois a história poderá chegar a sua meta”.

Deus quer salvar a todos. Jesus diz “o céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão”.  A Palavra, salienta Bento XVI, é mais real e mais duradoura que todo o mundo material, “é a realidade verdadeira e confiável. Os elementos cósmicos passam; a palavra de Jesus é  o verdadeiro 'firmamento' no qual o homem pode estar e permanecer”.

Capítulo 3 – Ao lavar os pecados, Jesus se despoja de seu esplendor divino para purificar a sujeira do mundo e para “tornar-nos capazes de participar do banquete nupcial de Deus”, realizando uma mudança radical na história da religião: diante de Deus, “não é a prática de rituais que purifica”, mas é “a fé que purifica o coração”.
O Papa explica que a novidade do Evangelho não pode consistir na elevação da prestação moral. “A nova Lei é a graça do Espírito Santo, não é uma nova norma, mas a nova interioridade doada pelo próprio Espírito de Deus”, salienta.

Segundo Bento XVI, somente se as pessoas se deixarem ser lavadas repetidamente por Deus poderão aprender a fazer junto a Ele aquilo que Ele fez. “Devemos deixar-nos imergir na misericórdia do Senhor para que, assim, nosso coração possa ser caminho de justiça”, salienta o Papa. O mandamento novo do amor “não é simplesmente uma exigência nova e superior: ele está ligado à novidade de Jesus Cristo – ao crescente ser imerso n'Ele”, afirma o Santo Padre.

A pureza é um dom, como ser cristão também é um dom que se desenvolve na dinâmica do viver e agir junto com este dom. Joseph Ratzinger explica que Pedro e Judas são dois modos diferentes de reagir diante desse dom. Ambos o acolhem, mas depois um o renega e outro o trai. Pedro, arrependido, crê no perdão. Também Judas arrepende-se, mas não "consegue mais acreditar no perdão. O seu arrependimento torna-se desespero... vê então somente as próprias trevas, é destrutivo e não é um verdadeiro arrependimento". Em Judas, encontra-se o perigo que percorre todos os tempos, o perigo de quem, uma vez iluminado, através de uma série de formas aparentemente pequenas de infidelidade, decai espiritualmente e chega, ao final, saindo da luz, entra na noite e não é mais capaz de conversão.

Além disso, em Judas, que o trai, Jesus experimenta "a incompreensão, a infidelidade até no interior do círculo mais íntimo dos amigos. A ruptura da amizade acontece até na comunidade sacramental da Igreja, onde sempre de novo há pessoas que tomam 'o seu pão' e o atraiçoam".

Capítulo 4 – A oração sacerdotal de Jesus é compreensível somente com o pano de fundo da liturgia da festa judaica da Expiação (Yom kippùr). A elevação de Jesus sobre a Cruz constitui "o dia da Expiação do mundo, em que toda a história do mundo encontra o seu sentido": aquele de reconciliar-se com Deus. O não ser reconciliado com Deus constitui o problema essencial de toda a história do mundo.

A missão de Jesus é universal, é a de fazer com que "o homem, no tornar-se uma só coisa com Deus, volte a ser totalmente ele mesmo. Essa transformação, no entanto, tem o preço da cruz e, para as testemunhas de Cristo, aquele da disponibilidade do martírio".

Capítulo 5 – O Papa afronta a questão das datas distintas da Última Ceia entre os Evangelhos Sinóticos e o Evangelho segundo João. Salienta que a pesquisa histórica pode chegar somente até certo grau de probabilidade, nunca a uma certeza última. "Se a certeza da fé baseasse-se exclusivamente sobre uma abordagem histórico-científica, permaneceria sempre passível de revisão", adverte Bento XVI, complementando que a certeza última é-nos dada pela fé – o crer com a Igreja guiada pelo Espírito Santo.

Segundo o Papa, "a Última Ceia significa a sua despedida, pois não pertencia a nenhum determinado rito judaico. Ele dava algo de novo, dava a si mesmo como o verdadeiro Cordeiro, instituindo assim a Páscoa". Bento XVI salienta que "aquilo que a Igreja celebra na Missa não é a última ceia, mas aquilo que o Senhor, durante a última ceia, instituiu e confiou à Igreja: a memória da sua morte sacrifical".
 
Capítulo 6 – No  Getsêmani, Jesus experimentou a última solidão e toda a tribulação do ser homem. Pedro é contrário à cruz e é apontado pelo Papa como sinal daquela atitude que tenta continuamente os cristãos e também a Igreja: sem a cruz, chegar ao sucesso.

Jesus pede que os discípulos façam vigília, mas é em vão. Uma angústia suprema assola Jesus, na consciência de tomar sobre si todo o mal do mundo: "é o encontra mesmo entre luz e trevas, entre vida e morte – o verdadeiro drama da escolha que caracteriza a história humana". Jesus eleva a sua súplica ao Pai, Àquele que pode salvá-lo da morte.

Capítulo 7 – Bento XVI aborda o processo contra Jesus e sublinha que não foi o povo judeu como tal que desejou a morte de Cristo, pois também Jesus e seus discípulos eram judeus. Quem o acusava era a aristocracia do templo, mas com exceções (como Nicodemos), e os apoiadores da soltura de Barrabás.

Durante o processo, Pilatos pergunta: “O que é a verdade?”. O Papa indica: "A não redenção do mundo consiste no não reconhecimento da verdade, uma situação que, depois, conduz inevitavelmente ao domínio do pragmatismo e, desde modo, faz que o poder dos mais fortes torne-se deus deste mundo".

Bento XVI recorda que, da mesma forma como Pilatos, muitos hoje entendem a questão acerca da verdade "irresolvível". "Mas, sem a verdade, o homem não alcança o sentido da vida, deixa o campo aos mais fortes. A verdade torna-se reconhecível em Jesus Cristo. Externamente, ela é imponente no mundo – como Cristo, frente aos critérios do mundo, parece sem poder... é crucificada. Mas exatamente assim, na total falta de poder, Ele é poderoso, e somente assim a verdade torna-se sempre novamente uma potência".

Capítulo 8 – A crucificação e a deposição de Jesus no sepulcro. O Papa recorda que ninguém esperava o fim do Messias na cruz, um fato, num primeiro momento, incompreensível e que levou a uma nova compreensão da Escritura.

Bento XVI recorda que a primeira palavra de Jesus sobre a Cruz é o pedido de perdão para os crucificadores, pois "não sabem o que fazem". Ele também indica a figura do bom ladrão sobre a cruz como a imagem da esperança, "a certeza consoladora de que a misericórdia de Deus pode alcançar-nos também no último instante; a certeza de que a oração que implora a sua bondade não é em vão".

O Papa também defende que "o bem é sempre infinitamente maior que todo o mal, por mais terrível que seja. Por isso, ao centro do ministério apostólico e do anúncio do Evangelho deve estar o ingresso no mistério da cruz. Ali, a obscuridade e a ilogicidade do pecado encontram-se com a santidade de Deus na sua luminosidade deslumbrante para os nossos olhos e isso vai além da nossa lógica. No entanto, na mensagem do Novo Testamento e na sua verificação na vida dos santos, o grande mistério torna-se totalmente luminoso. O mistério da expiação não deve ser sacrificado devido a qualquer racionalismo pedante”.

Capítulo 9 – A ressurreição de Jesus dentre os mortos. "Sem a fé na ressurreição a fé cristã é morta. Somente se Jesus ressuscitou aconteceu aquilo de verdadeiramente novo que transforma o mundo e a situação do homem", diz o Papa.

O Pontífice explica que a ressurreição não foi o milagre de um cadáver reanimado. "Foi a entrada em um gênero de vida totalmente novo, rumo a uma vida não mais sujeita à lei do morrer e do tornar-se, mas que vai além disso – uma vida que inaugurou uma nova dimensão do ser homens. É uma espécie de 'mutação decisiva', um salto de qualidade. Está aberta uma nova possibilidade de ser homem, uma possibilidade que interessa a todos e abre um futuro, um novo gênero de futuro para os homens".

Bento XVI questiona se a ressurreição estaria em contraste com a ciência. "Em toda a história daquilo que vive, os inícios das novidades são pequenos, quase invisíveis – podem ser ignorados. O Senhor mesmo disse que o 'reino dos céus', neste mundo, é como um grão de mostarda, a menor de todas as sementes. Mas traz em si a potencialidade infinita de Deus. A ressurreição de Jesus, do ponto de vista da história do mundo, é imperceptível, é a menor semente da história. Essa inversão da proporções faz parte dos mistérios de Deus. No final da contas, aquilo que é grande, poderoso, é o pequeno. E a semente pequena é a verdadeiramente grande. A ressurreição é um evento dentro da história que, todavia, quebra o âmbito da história e a supera”.

O Pontífice declara que é próprio do mistério de Deus agir de modo submisso. "Somente aos poucos Ele constrói na grande história da humanidade a sua história... Continuamente Ele bate de modo submisso na porta de nossos corações e, se lhe abrimos, lentamente torna-nos capazes de 'ver'. Não é exatamente esse o estilo divino? Não sobrecarregar com o poder exterior, mas dar liberdade, doar e suscitar amor”.

Conclusão – E subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai e, de novo, vira em glória. O testemunho dos discípulos de Jesus "traduz-se essencialmente em uma missão: devem anunciar ao mundo que Jesus é o Vivente – a Vida mesma".

Segundo o Papa, a narrativa do Evangelho de São Lucas sobre a ascensão diz que "os discípulos ficaram cheios de alegria depois que o Senhor ficou definitivamente distante deles. Não se sentem abandonados. Estão seguros de que o Ressuscitado exatamente agora está presente em meio a eles de uma maneira nova e poderosa, que não se pode mais perder. Está sempre presente em meio a nós e por nós".

A confiança e a razão da alegria dos cristãos é que o Senhor sempre vem no momento oportuno, na expectativa de que Ele virá na glória. A fé no retorno de Cristo é o segundo pilar da profissão cristã. Isso implica a certeza na esperança de que Deus enxugará toda a lágrima, não permanecerá nada que seja privado de sentido, toda injustiça será superada e estabelecida a justiça. A vitória do amor será a última palavra da história do mundo. Nesse meio tempo, é pedida aos cristãos a vigilância. Vigilância significa sobretudo abertura ao bem, à verdade, a Deus, em meio a um mundo frequentemente inexplicável e em meio ao poder do mal. Os cristãos invocam a vinda definitiva de Jesus e veem, ao mesmo tempo, com alegria e gratidão Ele já agora antecipa a sua vinda, já agora entra em meio a nós. 'Eu estou convosco todos os dias, até o fim do mundo'".
-------------------------------------------------------



Tema: "Fraternidade e a vida no planeta"
Lema "A criação geme em dores de parto".

------------------------------------------------------

Hino da CF 2011

CNBB

Composição: Pe. José Antônio de Oliveira / Casimiro Nogueira
 
1. Olha, meu povo, este planeta terra:
Das criaturas todas, a mais linda!
Eu a plasmei com todo amor materno,
Pra ser um berço de aconchego e vida. (Gn 1)
Nossa mãe terra, Senhor,
Geme de dor noite e dia.
Será de parto essa dor?
Ou simplesmente agonia?!
Vai depender só de nós!
Vai depender só de nós!
2. A terra é mãe, é criatura viva;
Também respira, se alimenta e sofre.
É de respeito que ela mais precisa!
Sem teu cuidado ela agoniza e morre.
3. Vê, nesta terra, os teus irmãos. São tantos...
Que a fome mata e a miséria humilha.
Eu sonho ver um mundo mais humano,
Sem tanto lucro e muito mais partilha!
4. Olha as florestas: pulmão verde e forte!
Sente esse ar que te entreguei tão puro...
Agora, gases disseminam morte;
O aquecimento queima o teu futuro.
5. Contempla os rios que agonizam tristes.
Não te incomoda poluir assim?!
Vê: tanta espécie já não mais existe!
Por mais cuidado implora esse jardim!
6. A humanidade anseia nova terra. (2Pd 3,13)
De dores geme toda a criação. (Rm 8,22)
Transforma em Páscoa as dores dessa espera,
Quero essa terra em plena gestação!
------------------------------------------------------------


A CRUZ DIVINA E AS CRUZES HUMANAS

                         Num passado bem remoto, uma Cruz foi levantada no alto do Calvário e nela morreu o Filho de Deus, que se ofereceu ao Pai para salvar a humanidade. Até hoje a Igreja nos pede que pensemos mais sobre o mistério da Cruz nestas semanas da Quaresma. A infinita misericórdia de Deus para com sua criatura aceitou o sacrifício de Jesus a fim de que o ser humano recuperasse a aliança original, perdida com sua infidelidade. Opção de um Pai que ultrapassa a lógica da paternidade humana para permitir ao ser humano voltar à casa paterna e conviver eternamente com ele.

                        Faz parte da liturgia da Sexta-feira Santa ajoelharmo-nos diante dessa cruz para adorá-la e agradecermos ao Cristo nela pregado o dom de nossa redenção. É um sinal de reconhecimento e amor, mas é também um momento de compromisso.
                        A crucifixão de Jesus não se consumou naquele dia. Até hoje ele continua morrendo nas cruzes que os filhos e filhas de Deus carregam,  espalhados pelo mundo inteiro. Se nos emocionarmos com as dores de sua Paixão, não podemos ser indiferentes aos sofrimentos que penalizam tantas pessoas, irmãs nossas. Também diante dessas cruzes nos ajoelhamos, não para adorar, pois são humanas, mas para tratá-las, para eliminá-las da vida de cada um que nasceu para ser feliz já neste mundo.

                      Que a experiência desta Quaresma aumente nossa sensibilidade para as cruzes dos seres humanos e nossa coragem de lutar, unidos aos que sofrem desde dores físicas até os danos impostos por nossa sociedade injusta, cuja dinâmica sempre beneficia os privilegiados e exclui os fracos e carentes.

D. Geraldo Majella Agnelo
Cardeal Arcebispo de Salvador
Fonte de Pesquisa:  Revista Mensageiro do Coração de Jesus – Mês de Março – 2011.
------------------------------- 

8 de Março - Dia Internacional da Mulher!!!

Dilma escreve mensagem especial

para o Dia Internacional da Mulher

por Lilian Venturini
08.março.2011 13:32:21
A Secretaria de Imprensa divulgou nesta terça-feira, 8, mensagem escrita pela presidente Dilma Rousseff para o Dia Internacional da Mulher. No texto, Dilma reforça o compromisso de erradicar a pobreza no País e se diz convencida de que programas focados para as mulheres e crianças são o caminho para uma política social bem-sucedida.
A presidente voltou a mencionar o reajuste do Bolsa Família e outros programas do governo federal que, segundo ela, “são eficientes porque privilegiam as mulheres”. Por fim, ressaltou a preocupação com o combate à violência e colocou como compromisso a igualdade de oportunidades para todos. Abaixo, a mensagem completa:
“Meu objetivo fundamental, como Presidenta da República, é a erradicação da pobreza extrema. No Brasil, a pobreza tem cara: ela é muito feminina, está ligada às mulheres. Quanto mais pobre a família, maior a chance de que ela seja chefiada por uma mulher. Estou convencida de que uma política bem-sucedida de eliminação da miséria deve ser focada na mulher e na criança. Programas como o Minha Casa Minha Vida, o PRONAF Mulher ou o Bolsa Família – que acaba de ser reajustado em até 45,5% e que terá impacto proporcional à quantidade de filhos da família beneficiada – são eficientes porque privilegiam as mulheres. No Dia Internacional da Mulher, quero ressaltar que a eliminação da discriminação de gênero e a valorização das mulheres e das meninas são estratégias indispensáveis para alcançarmos êxito em nossa luta contra a pobreza. Com base em iniciativas como a Lei Maria da Penha, temos alcançado progresso no combate à violência contra as mulheres, mas ainda há muito por fazer. Temos o compromisso sagrado de enfrentar essa questão, intensificando e ampliando as medidas adotadas no governo passado. O Brasil que queremos, e que vamos ter, é um país sem violência. É um país com água, com luz, com saneamento, com educação de qualidade e emprego digno para todos. É um país rico, em que as mulheres e os homens têm as mesmas oportunidades e privilégios, contribuindo juntos para o desenvolvimento e o criando seus filhos com dignidade e com orgulho.”
Tags:
----------------------------------


O BRASIL COMEMORA O
MUNDO NOVO
DA MULHER


Homenagem do Blog LUSMARPAZLEITE e seus colaboradores à primeira mulher PRESIDENTE DO BRASIL 
e a todas as mulheres que fazem um MUNDO NOVO
--------------------------------------------------------

"E S P E C I A L"
8 de Março
Dia Internacional da MULHER!
 Maria, Mãe das Mães, Mulher por excelência!



Um dia ESPECIAL para quem?
Às Mulheres Aracoiabenses!

Às Mulheres Cearenses!


Às Mulheres Brasileiras!


Às Mulheres do Mundo Inteiro!


Mulheres queridas,
Vocês são privilegiadas aos olhos de Deus!
Vocês são presentes de Deus à humanidade!
Vocês são as pupilas dos olhos de Deus!
Vocês são a manifestação do amor e a manifestação do carinho de Deus à humanidade!
Vocês são as continuadoras do amor de Deus na obra da criação!
---------------------------- 
Foto abaixo: Tia-mãe Geraldina Leite ( Lusmar Paz )
Mulher religiosa - Mulher mãe espiritual - Mulher mãe de coração -mulher mãe adotiva, a nossa gratidão!!!
-------------------------------------

O amor de Mãe se assemelha ao amor do nosso Deus!
Grande é o amor da mulher-mãe!

Parabéns, mulher criança! Parabéns, mulher adolescente! Parabens, mulher jovem! Parabéns mulher adulta! Parabéns mulher anciã!
Parabéns ,mulheres queridas!

Parabéns, Mulheres-mães!

Recebam o abraço dos leitores e seguidores deste blog.
Deus abençoe a todas vocês com Paz e Saúde!

Que a Virgem Maria, Mulher Mãe e Medianeira de todas as graças, abençoe  as mulheres neste Dia Internacional das Mulheres!!!
__________ 
Homenagem Especialíssima!!!

Homenageio às "mulheres especiais em minha vida"!
São elas Tia Maria e Tia Geraldina!
Após a partida de minha mãe biológica para a Casa do Pai, eu e meus irmãos Lúcia e Luciano, ainda crianças, fomos criados por essas duas maravilhosas mulheres.
Naquela época eu tinha 3 meses e poucos dias.
Portanto, hoje, "Dia Internacional da Mulher", eu e meus irmãos saudamos, abraçamos e beijamos o coração dessas duas mulheres guerreiras,  corajosas , heroínas, mulheres de Deus,  Tias-Mães Maria e Geraldina Leite.

Eis as fotos abaixo:
À esquerda, Tia Maria, 78 anos. 
À  direita, Tia Dadina, 87 anos!.

 
Carta do Papa João Paulo II às Mulheres
______________


A vós, mulheres do mundo inteiro,
a minha mais cordial saudação!

O obrigado ao Senhor pelo seu desígnio sobre a vocação e a missão da mulher no mundo, torna-se também um concreto e directo obrigado às mulheres, a cada mulher, por aquilo que ela representa na vida da humanidade.

Obrigado a ti, mulher-mãe, que te fazes ventre do ser humano na alegria e no sofrimento de uma experiência única, que te torna o sorriso de Deus pela criatura que é dada à luz, que te faz guia dos seus primeiros passos, amparo do seu crescimento, ponto de referência por todo o caminho da vida.
Obrigado a ti, mulher-esposa, que unes irrevogavelmente o teu destino ao de um homem, numa relação de recíproco dom, ao serviço da comunhão e da vida.

Obrigado a ti, mulher-filha e mulher-irmã, que levas ao núcleo familiar, e depois à inteira vida social, as riquezas da tua sensibilidade, da tua intuição, da tua generosidade e da tua constância.
Obrigado a ti, mulher-trabalhadora, empenhada em todos os âmbitos da vida social, económica, cultural, artística, política, pela contribuição indispensável que dás à elaboração de uma cultura capaz de conjugar razão e sentimento, a uma concepção da vida sempre aberta ao sentido do « mistério », à edificação de estruturas económicas e políticas mais ricas de humanidade.

Obrigado a ti, mulher-consagrada, que, a exemplo da maior de todas as mulheres, a Mãe de Cristo, Verbo Encarnado, te abres com docilidade e fidelidade ao amor de Deus, ajudando a Igreja e a humanidade inteira a viver para com Deus uma resposta « esponsal », que exprime maravilhosamente a comunhão que Ele quer estabelecer com a sua criatura.

Obrigado a ti, mulher, pelo simples facto de seres mulher! Com a percepção que é própria da tua feminilidade, enriqueces a compreensão do mundo e contribuis para a verdade plena das relações humanas.
Mas agradecer não basta, já sei. Infelizmente, somos herdeiros de uma história com imensos condicionalismos que, em todos os tempos e latitudes, tornaram difícil o caminho da mulher, ignorada na sua dignidade, deturpada nas suas prerrogativas, não raro marginalizada e, até mesmo, reduzida à escravidão. 
Isto impediu-a de ser profundamente ela mesma, e empobreceu a humanidade inteira de autênticas riquezas espirituais. Não seria certamente fácil atribuir precisas responsabilidades, atendendo à força das sedimentações culturais que, ao longo dos séculos, plasmaram mentalidades e instituições. 

Mas, se nisto tiveram responsabilidades objectivas, mesmo não poucos filhos da Igreja, especialmente em determinados contextos históricos, lamento-o sinceramente. Que este pesar se traduza, para toda a Igreja, num compromisso de renovada fidelidade à inspiração evangélica que, precisamente no tema da libertação das mulheres de toda a forma de abuso e de domínio, tem uma mensagem de perene actualidade, que brota da atitude mesma de Cristo. Ele, superando as normas em vigor na cultura do seu tempo, teve para com as mulheres uma atitude de abertura, de respeito, de acolhimento, de ternura. Honrava assim, na mulher, a dignidade que ela sempre teve no projecto e no amor de Deus. Ao fixar o olhar n'Ele, no final deste segundo milénio, vem-nos espontaneamente a pergunta: em que medida a sua mensagem foi recebida e posta em prática?

Sim, é tempo de olhar, com a coragem da memória e o sincero reconhecimento das responsabilidades, a longa história da humanidade, para a qual as mulheres deram uma contribuição não inferior à dos homens, e a maior parte das vezes em condições muito mais desfavoráveis. Penso, de modo especial, nas mulheres que amaram a cultura e a arte, e às mesmas se dedicaram partindo de condições desvantajosas, excluídas frequentemente de uma educação paritária, submetidas à inferiorização, ao anonimato e até mesmo à expropriação da sua contribuição intelectual. Infelizmente, da obra imensa das mulheres na história, bem pouco restou de significativo com os métodos da historiografia científica. 

Mas, por sorte, se o tempo sepultou os seus vestígios documentais, não é possível não perceber os seus influxos benfazejos na seiva vital que impregna o ser das gerações, que se foram sucedendo até à nossa. Relativamente a esta grande, imensa « tradição » feminina, a humanidade tem uma dívida incalculável. Quantas mulheres foram e continuam ainda a ser valorizadas mais pelo aspecto físico que pela competência, pela profissionalidade, pelas obras da inteligência, pela riqueza da sua sensibilidade e, em última análise, pela própria dignidade do seu ser!

Na política do futuro, os graves problemas em aberto verão sempre mais envolvida a mulher: tempo livre, qualidade da vida, migrações, serviços sociais, eutanásia, droga, saúde e assistência, ecologia, etc. 
Em todos estes campos, se revelará preciosa uma maior presença social da mulher, porque contribuirá para fazer manifestar as contradições de uma sociedade organizada sobre critérios de eficiência e produtividade, e obrigará a reformular os sistemas a bem dos processos 
de humanização que delineiam a « civilização do amor ».

________________________________

  Homens e mulheres, leiam esses quatro pequenos textos relativos 
"À Dignidade da Mulher".
São textos sequenciais . Uma pesquisa maravilhosa!!!
Professores e alunos aproveitem a riqueza de conhecimentos nesses humildes textos.

1º TEXTO:

A MULHER NOS TEMPOS PRIMITIVOS
 
O texto bíblico quando fala na criação do ser humano coloca o homem e a mulher no mesmo plano: “Deus criou o homem e a mulher à sua imagem; Ele os criou homem e mulher (Gn 1,27). Igual ao homem: “Ossos dos meus ossos, carne de minha carne” (Gn 2,23).
Atribuir-se-à talvez ao texto de Gn 3,16 o que virá depois de negativo sobre a mulher, através dos séculos. Aí é repreendido o comportamento da mulher e repreendida a atitude do homem por causa da mulher.
É diverso e complexo o tratamento dado à mulher, através dos tempos, em todos os povos: ora positivo, exaltando a mulher e sua vocação e atitudes; ora negativo, colocando a mulher em grande desprestígio, inferiorizando-a ao homem. Assim também entre os hebreus-judeus. Encontramos palavras e referências lindas e grandiosas sobre a mulher. No Antigo Testamento, basta lembrar as figuras exaltadas por sua inteligência e heróica atuação na família e no próprio povo, tais como: Raab (Js2), Abgail (1 Sl 25,14), Sara, Agar, Rebeca, Raquel, Lia, Dalila, Atália, Débora, Ruth, Judith, Esther e tantas outras. Os livros sapienciais, ao lado de inúmeras restrições, tecem louvores admiráveis às mulheres, quando diz, em resumo, que o homem que encontra uma esposa virtuosa encontra o maior tesouro na vida.
Mas ao lado das referências e tratamento positivos às mulheres, há, infelizmente, dados negativos da cultura, quanto ao mundo feminino. E isso em todos os povos e religiões. A mulher é tratada como sendo de segunda categoria; é tratada como coisa e propriedade do homem.
Essa degeneração e degradação no tratamento da mulher não escapou aos próprios judeus que se consideravam o “povo escolhido de Deus”...
Jesus de Nazaré encontrou essa mentalidade machista e negativa quanto à mulher. O judeu, com sua obsessão da lei da Pureza, firmou tradições negativas: absorveu mais as referências negativas do Antigo Testamento com relação à mulher; isso, provavelmente, baseando-se na narrativa do Gênesis quando, com linguagem simbólica, descreve a realidade do pecado, acentuando a atuação bíblica da mulher (Eva) junto ao homem (Adão).No Antigo testamento há, realmente, passagens estranhas com referência à mulher. Desculpem-me minhas queridas irmãs se, aqui e acolá, vou colher alguns tópicos negativos do Antigo Testamento antes de, em seguida, colocarmos a mulher no honroso lugar que lhe compete e no qual o próprio Jesus Cristo a colocou. Pois, o realce e o brilho do lado positivo das coisas tornam-se mais evidente quando confrontado com o negativo, não é?

Fonte de Pesquisa: Livro – O jeito de Jesus de Nazaré – Pe. José Ribolla, Sacerdote Redentorista. Editora Santuário.

2º TEXTO:
 "A mulher nos tempos de Jesus". 
 
Dizíamos que ao lado de tantas referências positivas e admiráveis a respeito da mulher, o Antigo Testamento tem expressões negativas fortes, próprias do tempo.Já dissemos que os judeus, nos tempos que precederam e acompanharam a presença de Jesus, tinham criado uma cultura de tradições e leis negativas quanto à mulher. Parece que só viam a mulher com óculos escuros!
Assim, leram os judeus em Pr 11,22: "Um anel de ouro no focinho de um porco é a mulher formosa, mas sem virtude e bom senso".

Ecl 19,2 manda "tomar cuidado com o vinho e as mulheres". Em vários trechos do livro dos provérbios descobriram a monotonia e a chatice de uma mulher queixosa e choramingona.

Isaías e Amós (4,1;3,16) condenam a frivolidade e as extravagâncias das mulheres de Samaria e Jerusalém.
E as coisas foram pioradas pelos rabinos, doutores e escribas dos judeus. A mulher era catologada como um bem patrimonial do marido, do qual ele podia dispor quando quisesse. Podiam parodiar Nietsche, que blasfemou:"A mulher foi o segundo erro de Deus". Ou Eurípedes, que dizia: " A mulher é o pior dos males". E Aulo Gelio: "Um mal necessário"...
E por aí afora!

Até os 14 anos de idade a judia era propriedade do pai;depois,propriedade do marido.
Mulher não podia falar em público com um homem; não podia falar com um rabino nem assistir a uma aula ou fazer um curso. Mulher não podia sevir de testemunha. Quando nascia um homem, era alegria; quando vinha uma mulher, havia lamúria.Quando a mulher dava à luz um homem, o tempo legal da purificação era de 40 dias; quando dava à luz
uma mulher, o tempo de purificação legal dobrava: 80 dias. O Rabi Eliezer chegava a dizer: "Seria preferível queimar toda a Lei do que entregá-la nas mãos de uma mulher". O judeu machista desse tempo agradecia a Deus três vezes ao dia o não ter nascido mulher.

A mulher adúltera era terrivelmente castigada; ao homem adúltero nada acontecia. Nos dias da menstruação, quem tocasse na mulher (mesmo para cumprimentá-la) ficava "impuro". Até o peso do cérebro inferiorizava a mulher: o delas, com 1.200 gramas, e, o do homem com 1.320 gramas. Entre os judeus, propriamente quem "casava" era o homem, não a mulher: esta era "dada em casamento".

O direito de separação (divórcio) só competia ao homem. Em geral a mulher não tomava refeições à mesa com um homem.
Ao lado de tanta coisa bonita e positiva na Bíblia sobre a mulher, havia toda essa incompreensível mentalidade tacanha, criada por rabinos,escribas,fariseus, com suas leis e tradições.
E como Jesus de Nazaré reagiu a tudo isso? Reagiu fortemente com palavras e atitudes.

3º TEXTO:
 " Jesus e a mulher ". 

Estamos continuando com a reflexão sobre a mulher no tempo de Jesus. Uma boa leitura para todos.
A maior blasfêmia que um judeu poderia catalogar e a idéia mais inconcebível para ele era a de um Deus-Homem: Deus em forma humana.

Adoravam a Deus como espírito puríssimo, Jaweh: o Deus transcendente, invisível, indizível, do qual não se podia nem desenhar a idéia nem a figura, do qual nem o nome se pronunciava. Jaweh constituía um abismo de distância com qualquer criatura. Portanto, a maior blasfêmia, a coisa mais inconcebível que havia para os judeus era a idéia de Deus fazer-se Homem. Será essa a “blasfêmia” que levará Jesus à Cruz: o ter-se anunciado como Filho de Deus, nascido de mulher!

Para os judeus, portanto, Deus nunca poderia ter tido a idéia de se apresentar em figura humana. Nem um anjo aceitaria como Deus.
E o que fez o Verbo, o Filho de Deus, o que fez Deus? Encarnou-se, quis tornar-se Homem, quis nascer de uma mulher. E aqui está a primeira mensagem e atitude de Jesus de Nazaré a respeito da MULHER: quis ter uma mãe, quis a mulher em sua vida. Myriam-Maria, a Virgem judia...

Trinta anos viveu com a mãe e com o pai adotivo, José. Quando começou, na vida pública, a dar a entender que Ele era o Filho de Deus, aí começou a briga que o levaria à Cruz. E, entre os marginalizados, os “anawin”, Jesus começou a dignificar a mulher, contra todas as tradições machistas dos judeus. Aí foi outro “Deus nos acuda!” A cada passo, no Evangelho, constatamos isso.

Jesus valorizava a mulher, fazendo-a presente na evangelização:
as parábolas do fermento (Mt 13,13,
da dracma perdida (Lc 15,8),
das virgens prudentes (Mt 25,1).

Jesus faz milagres em favor das mulheres:
a sogra de Pedro (Mt 8,14),
a filha de Jairo e a hemorroíssa (Mt 9,18-26; Mc 5,21-43; Lc 8, 40-56);
a mulher encurvada (Lc 13,10-17);
a mulher cananeia, cuja humildade e fé foram tão elogiadas – e era pagã – Mt 15, 21-28).
Conhecemos a defesa da adúltera e a delicadeza com que a tratou (Jo 8,1-11), livrando-a do apedrejamento.

Um judeu não se aproximava de uma mulher, muito menos de uma mulher doente para saúdá-la: Jesus toma a sogra de Pedro pela mão, levanta-a. Faz o mesmo com a filha de Jairo. Durante anos e anos uma mulher sofria do escorrimento de sangue. Em tais casos a mulher era considerada “impura”, máxime nos dias de menstruação. Imaginemos o sofrimento dessa pobre mulher, da qual todos fugiam para não se “manchar”: com que bondade Jesus a atende e a cura.

Jesus observa como dezenas de pessoas entram no Templo e depositam suas esmolas: chama a atenção dos discípulos para uma pobre mulher do povo que, com sua moedinha, colocara mais que todos os outros!...
_________________________________

4º TEXTO:
 " Ainda Jesus e a mulher ".

Jesus de Nazaré deixa lições claras, maravilhosas e surpreendentes em favor da dignidade da mulher: condena o machismo e a injustiça dos judeus do seu tempo, quanto ao tratamento dispensado à mulher.
Em 42 versículos do capítulo 4 do apóstolo João, está descrito o encontro da mulher samaritana com Jesus à beira do poço de Jacó, em Sicar, na Samaria. Conversar em público com uma mulher, a sós, e ainda mais com uma samaritana! Os próprios Apóstolos estranharam. Jesus se revela à samaritana como a fonte da vida nova da Graça e faz da samaritana, convertida, (levava uma “vidinha”) a missionária da Graça, do Plano de Deus: ela traz toda a cidade para Jesus e leva os concidadãos a crerem em Jesus.

Outra cena forte, questionadora para os judeus e para nós, é descrita em Lc 7,36-50: a pecadora pública na casa do fariseu Simeão, que enfrenta a “soçaite” do tempo, vai aos pés de Jesus, e, chorando, lava-lhe os pés, enxuga-os com seus cabelos... Simeão pensa mal da mulher, envergonhado com a presença dela ali... Jesus o adverte do seu farisaísmo; declara o perdão de todos os pecados daquela meretriz, que se converte e ressuscita para a vida da Graça e, quem sabe, talvez seja ela a que esteve aos pés da Cruz...

Na casa do amigo Lázaro (Jo 12, 1-11)Jesus costumava estar vez por outra. Desta vez foi após a ressurreição de Lázaro. Enquanto Marta, uma das irmãs de Lázaro, azafamava-se em preparar a refeição, Maria, a outra irmã, estava aos pés de Jesus, ouvindo-o. Os judeus coetâneos nem podiam imaginar tal cena: uma mulher, sentada aos pés daquele Homem, conversando descontraidamente com Ele... Jesus lembra a Marta, com outras palavras, a admoestação que fizera a alguém uns três anos atrás: “não só de pão vive o homem, Marta, Marta...” Maria fez boa escolha: ouvir a Palavra...

Lc 8,1-3 deixa claro que, enquanto Jesus passava por cidades e aldeias anunciando a Boa Nova, junto com os Apóstolos, havia um grupo de mulheres “apóstolas” que O seguiam, ajudando, ao menos indiretamente, no ministério, prestando assistência com seus bens. E até nomeia algumas dessas seguidoras de Jesus de Nazaré: Madalena, a convertida; Joana, Suzana “e muitas outras”.

No último Sínodo para os leigos, em 1987, quando se discutia sobre a mulher na evangelização, um bispo fez uma advertência muito oportuna aos seus colegas episcopais:
“Proponho que nós, bispos, tratemos a mulher ao menos como Jesus a tratou no Evangelho!”
Esses quatro textos estão no livro:  "O Jeito de Jesus de Nazaré"
José Ribolla, Sacerdote Redentorista
Editora Santuário
-----------------------------------------------------------------

Papa rejeita a responsabilização dos judeus pela crucificação



Papa Bento XVI diz em livro que crucificação de Cristo não foi povo judeu em geral


foto
      
Em um livro que chegará ao mercado nos próximos dias, o Papa assumiu uma posição histórica. Bento XVI rejeitou a responsabilização do povo judeu pela crucificação de Jesus Cristo.
Não é uma visão nova da igreja, mas a primeira vez que um Papa faz uma análise detalhada da responsabilidade dos judeus pela morte de Jesus. Ao analisar os Evangelhos de Mateus e João, Bento XVI afirma que a condenação de Jesus pelo povo judeu não representa um fato histórico.
“Os verdadeiros responsáveis foram os líderes templo e seus seguidores, e não o povo em geral”, escreve o Papa, que pergunta: “Como todo o povo judeu poderia ter estado presente naquele momento para pedir a crucificação?”.
O livro com as reflexões sobre a paixão, morte e ressurreição de Cristo será publicado em sete línguas na próxima semana.

Desde 1965, a responsabilidade coletiva dos judeus pela morte de Jesus foi excluída pela Igreja. O Papa João XXIII teve um papel importante na reaproximação entre as duas religiões. O antissemitismo, o ódio aos judeus, segundo o Vaticano, não possui legitimação teológica.
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e representantes da comunidade judaica em todo o mundo elogiaram a posição de Bento XVI. Para eles, é um momento histórico, mesmo que a Igreja já tenha repudiado anteriormente a culpa dos judeus na crucificação de Cristo.
---------------------------------------

Grávidas precisam tomar cuidado com calor, salto alto e exageros no Carnaval

Do UOL Ciência e Saúde
Em São Paulo
Todo Carnaval é a mesma coisa: há sempre uma celebridade grávida no desfile das escolas de samba ou no topo do trio elétrico. O fato deixa a impressão de que toda gestante pode cair na folia sem medo de ser feliz, quando, na verdade, é preciso levar alguns cuidados em conta.
Para começar, é fundamental conversar com o obstetra responsável pelo pré-natal antes de confirmar presença na avenida ou em algum clube. Pular Carnaval nada mais é do que praticar uma atividade física, que pode ser bem desgastante. E, em alguns casos específicos, exercícios de maior intensidade são contraindicados na gravidez.
Outro aspecto importante a ser levado em consideração é se a gestante é sedentária ou não. "Celebridades como Adriane Galisteu e Ivete Sangalo, que já pularam Carnaval grávidas, são muito ativas e têm um condicionamento adequado para enfrentar o exercício", comenta a professora de educação física e personal gestante Gizele Monteiro.
Se o médico liberou e o preparo físico permite, a grávida pode preparar a fantasia e a maquiagem, não sem antes tomar alguns cuidados. Veja as recomendações da personal:

Antes

Uma grávida não pode nem pensar em pular Carnaval em jejum. Mas a alimentação antes do exercício também não pode ser pesada. "No primeiro trimestre é comum ter enjoo e, no último, a respiração fica prejudicada e o volume da barriga pode causar refluxo", esclarece.
Portanto, a gestante deve fazer uma refeição leve e equilibrada uma ou duas horas antes de sair, que pode incluir uma carne sem gordura, salada e frutas, sugere a especialista, idealizadora do programa Mais Vida Gestante.
Outro conselho importante diz respeito ao figurino e ao ambiente escolhido para brincar: nada de usar roupas quentes, com tecidos que impedem a transpiração. Especialmente se a folia for em algum clube ou outro ambiente fechado. "A Organização Mundial da Saúde alerta que a gestante não pode se expor a altas temperaturas, pelo risco de hipertermia", avisa Monteiro.
A personal também lembra que usar salto alto não é boa ideia, pois a prática sobrecarrega as pernas e a coluna, que já têm o peso extra da barriga para sustentar. E, por falar em sustentação, a gestante deve se lembrar de usar um bom top ou sutiã, já que os seios ficam mais inchados e sensíveis durante a gravidez.

Durante

Hidratação é palavra de ordem durante o Carnaval.  O consumo constante de líquidos ajuda a equilibrar a temperatura do corpo e repor a água perdida pelo suor. A desidratação pode causar alterações na pressão arterial e isso é ainda mais arriscado para quem está esperando um bebê.
Claro que a cerveja está fora de questão, não só porque o álcool atravessa a placenta e pode prejudicar o bebê, mas também pelo efeito diurético da bebida.
Na avenida não existe o problema da falta de ventilação, diz Monteiro. Por outro lado, há o ritmo imposto (para que a escola de samba não perca pontos) e a emoção de desfilar, que contribuem para o aumento dos batimentos cardíacos - mais um motivo para afastar as sendentárias da aventura.
Em geral, os especialistas recomendam que as grávidas evitem atividades de alto impacto, então é bom tomar cuidado com pulos e exageros ao sambar. "A gestante tem alterações nas articulações e nos ligamentos, que são uma espécie de preparação para o parto, por isso a mulher fica mais exposta a lesões", explica a personal.
Além disso, a nova silhueta altera a percepção dos movimentos  e do centro de gravidade, por isso há um risco maior de sofrer quedas ou torções.

Depois

Por todos os motivos acima, o descanso após a folia é fundamental.  "É bom deitar com os pés para cima, massagear o corpo e fazer alongamento  para aliviar a sobrecarga na coluna lombar e o aumento da circulação nas pernas", ensina Monteiro. E continuar com a hidratação, para repor o suor perdido.


Cuidados com o Corpo Durante o Carnaval

O carnaval é uma festa comemorada em todo o país. São dias de muita alegria e agitação e, diante disso, é preciso tomar certos cuidados.
Normalmente muitas pessoas que pulam carnaval não fazem nenhuma atividade física durante o decorrer do ano e o organismo não é preparado para um ritmo mais acelerado. Essas pessoas precisam de mais cuidados, pois o exagero na hora da folia pode causar problemas.
A época do carnaval está na estação mais quente do ano, o verão, isso deve ser fonte de algumas preocupações como:
- Aplicar protetor solar no corpo para prevenir queimaduras, insolação e câncer de pele;
- Ingerir bastante líquido para não desidratar o corpo, moderar o consumo de bebidas alcoólicas que ressecam a pele, dá sede, dor de cabeça, náuseas, hipertensão arterial, diarreia entre outros;
- Tomar cuidado com máscaras ou outros acessórios que podem dificultar a respiração, pois pode trazer fadiga;
- Ficar atento a penas e plumas, pois podem provocar alergia respiratória;
- A maquiagem deve ser usada com moderação, pois pode causar alergia, irritação na pele, infecções nas pálpebras, lesões nas córneas, dermatite de contato, descamação da pele, bolhas, pruridos entre outros.
O importante é hidratar bem o corpo, ingerindo muita água, sucos naturais, água de coco, chás gelados e fazer uma boa alimentação à base de massas para produzir energia; cereais para prevenir a prisão de ventre; saladas com muitas verduras e legumes, de preferência crus para ajudar na reposição de água e outros nutrientes; e bastante frutas, que ajudam na digestão e repõem vitaminas e outros. Evite alimentos gordurosos que diminuem o processo de digestão.
Antes de cair na folia, faça alguns exercícios de alongamento e relaxamento para evitar distensões e outras complicações mais graves.

'Lentes' coloridas para brilhar no carnaval, requer cuidados!



Cada vez mais arrojadas e sendo uma ótima opção para se festejar o carnaval com muito charme, as lentes de contato coloridas são uma alternativa para quem quer mudar a cor dos olhos apenas no período carnavalesco. As lentes coloridas, desde azuis e verdes à desenhadas, são fáceis de usar e tornam o look divertido. Segundo pesquisas, o crescimento de vendas nesse setor deve aumentar 50%.
O público-alvo desse tipo de produto é grande e diverso: atrai os usuários de lentes de contato transparentes, que já estão adaptados; os que usam apenas óculos de receituário, que podem querer experimentar um novo tipo de correção visual; os clientes de óculos solares ou pessoas que passam apenas na frente da vitrine e sentem vontade de mudar a cor dos olhos. As lentes coloridas podem ser encontradas em centros especializados para adaptação das mesmas.
Porém, algumas recomendações devem ser observadas antes da compra, e principalmente durante o uso. Lentes de contato devem sempre ser utilizadas sob prescrição médica, mesmo para as coloridas. Consultórios e clínicas registram um aumento de casos de problemas de saúde ocular ligados ao uso indevido destas lentes. É comum, em período de festas prolongadas como o Carnaval, em que as pessoas chegam cansadas e acabam esquecendo de retirar as lentes de contato antes de dormir.
Segundo a oftalmologista Carolina Maia, essa prática pode ser lesiva aos olhos, isso justifica o aumento de pessoas que buscam os consultórios de oftalmologia depois do Carnaval. “É necessário que antes de comprar uma lente colorida, a pessoa procure um oftalmologista. As lentes coloridas exigem os mesmos cuidados que uma lente comum. As principais recomendações são manusear as lentes com as mãos bem limpas, lavá-las com produtos específicos e trocar no período correto. O seu uso inadequado pode provocar, desde uma infecção, até problemas tão graves como uma úlcera”, enfatiza a especialista.
 A prescrição médica e o acompanhamento do oftalmologista constituem-se nos eleme ntos primordiais deste processo. A oftalmologista ainda alerta as pessoas que irão passar o carnaval na praia. “O vento, o suor, a oleosidade da pele, a maresia e outros fatores ambientais e orgânicos, podem levar à contaminação da lente e afetar a córnea. Portanto, é indicado que a pessoa tire a lente ao entrar na água, seja no mar, piscinas ou rios. As lentes não devem ser compartilhadas com outras pessoas, é de uso individual. E, em caso de lentes coloridas, elas também devem ser prescritas pelo médico. Lentes devem ser, de preferência, cinzas, verdes ou marrons e filtrar mais de 75% da luz visível”, finaliza Carolina Maia. 

Cuidado com os riscos de lesões no carnaval

Os cuidados para uma Carnaval sadio vão além da hidratação, da alimentação adequada, do baixo consumo de bebidas alcoólicas e da proteção contra doenças sexualmente transmissíveis. É época de cuidar também do corpo para evitar desgastes físicos que possam causar lesões musculares.
Carnaval é um dos períodos do ano em que as lesões se tornam mais freqüentes. É o que garante o Fisioterapeuta da Clínica Corpo Equilíbrio, Vidigal Gasparini. Segundo o fisioterapeuta, as lesões que mais atingem os foliões são torções de tornozelos, joelhos e dores musculares e articulares causadas pela sobrecarga física. Que o Carnaval é uma verdadeira maratona, ninguém duvida. Por isso alguns cuidados são necessários para se preparar para cair no samba.
“Pessoas com sobrepeso, sedentárias e que já apresentam alterações musculares são o grupo de maior risco para lesões, e por este motivo, exigem cuidados especiais”, declara o fisioterapeuta Mauro Pedroni Júnior, que dirige a Fisioclínica Londrina no Paraná. Outro item que passa desapercebido na maior parte das vezes, é a escolha do sapato ideal. “Saltos altos ou rasteirinhas não são indicados,” afirma Pedroni. O salto alto aumenta o risco de lesões nos pés e tornozelos, além de provocar dores e tensões na região dos pés.
“Para evitar as lesões, são necessários exercícios de alongamento, força e resistência”, declara Gasparini. Pedalar, nadar, caminhar, praticar aulas de Pilates e Hidroginástica são ideais para se preparar para cair na avenida em boa forma e com muito fôlego.
Para quem vai desfilar na avenida, é preciso muita atenção com a coluna, devido ao peso das fantasias e dos instrumentos musicais e esforço físico para empurrar os carros alegóricos. “O mais importante é alongar a musculatura antes do desfile para evitar inflamações na região lombar e em outras áreas do corpo”, declara o fisioterapeuta Pedroni.
Tomando todos os cuidados necessários, somente boas lembranças ficarão.

Fisioclínica Londrina – www.fisioclinicalondrina.com.br
Corpo Equilíbrio Fisioterapia – www.corpoequilibriofisioterapia.com.br 
-------------------------------------- 

TRÂNSITO: NESSE CARNAVAL, MINISTÉRIO DA SAÚDE LANÇA ALERTA ESPECIAL AOS HOMENS JOVENS

O diretor do Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde, Dário Pasche, reforça a necessidade de atenção

Uma das principais causas de morte entre homens de vinte a vinte e quatro anos no Brasil é o envolvimento em acidentes de trânsito. Por isso, nesse período de Carnaval, o Ministério da Saúde lança um alerta à toda a população, mas especialmente aos homens jovens. Tradicionalmente, são eles quem mais arriscam a própria vida com a mistura de bebida e volante. Desde 2009, a Política Nacional de Saúde do Homem tenta reverter essa realidade promovendo a prevenção e o acesso à saúde. O diretor do Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde, Dário Pasche, reforça a necessidade de atenção:

"Os óbitos hoje relacionados a acidente de trânsito no Brasil, na casa de quase 40 mil óbitos ano, essa mortalidade é muito maior entre os homens. Questões mais culturais, os homens têm comportamento de risco maior, assumem riscos maiores. A razão por morte violenta, por homicídios, suicídio e acidentes de trânsito, a carga sobre os homens é de 80 por cento em relação às mulheres. E nessa época de festas há um consumo de álcool. E o álcool associado à direção, ao trânsito, ele está profundamente relacionada ao óbito, lesões graves."

A recomendação do Ministério da Saúde é que toda a população não beba se for dirigir. Nesse período de Carnaval, é preciso ainda redobrar os cuidados com alimentação, bebidas alcoólicas e também com o trânsito nas rodovias.
Reportagem, Suely Frota
Fonte: http://www.webradiosaude.com.br
  Começa campanha de trânsito para o carnaval

Seja educado no trânsito. Seja um folião do bem;










DICAS AOS MOTOCICLISTAS:
Os motociclistas são os as maiores vítimas de acidentes de trânsito, portanto neste carnaval tenha mais atenção;
Não esqueça dos  equipamentos de segurança:  use o capacete;
Se beber vá de ônibus, táxi ou moto-táxi;

DICAS AOS MOTORISTAS:

Não esqueça dos  equipamentos de segurança:  use o cinto de segurança;
Eleja o “amigo da vez” para cada noite de folia. Dirigir alcoolizado é crime e pode render sérios prejuízos;
Jamais use o celular ao dirigir;
Lembre-se: a velocidade excessiva pode acabar de vez com sua alegria.

DICAS AOS PEDESTRES:
Não "beba e ande“ – chame um  transporte regulamentado  ( ônibus, táxi, moto-táxi ) ou deixe alguém levá-lo para casa.
Sempre caminhe no lado esquerdo da rua ou na calçada. Desta forma, motoristas podem vê-lo e não se aproximarão por trás.
Quando possível, atravesse a rua em um cruzamento ou na faixa, se houver uma próxima. (Karinne Katiúzia)


Mulheres
Para as mulheres, todo cuidado é pouco. Sei que você pode achar bobagem, mas a quantidade de estupros é muito grande. Tomem os cuidados necessários e se previna, saindo sempre em grupo, com vários amigos e amigas, e desconfie de tudo, é melhor prevenir do que remediar.

Crianças
  
Cuidados com a alimentação:

  1. Ofereça carboidratos, como pães, arroz, batatas … mas fuja das frituras.
  2. Líquido a vontade, muita água, e sucos naturais, além de água de coco, que mantém a hidratação.
  3. Não espere a criança pedir para beber, ofereça sempre, na folia muitas se esquecem de que estão com sede. 
Segurança:
  1. É importante não tirar os olhos desses pimpolhos nem por um segundo se quer.
  2. Não deixe a criança sozinha com estranhos, NUNCA!
  3. Toda criança deverá ter um crachá, amarrado ao pulso, como uma pulseirinha, contendo nome , telefone, endereço, e nome dos pais.
  4. Em locais onde há rios, lagos ou piscinas, a atenção deve ser redobrada.
  5. Use protetor solar, se estiver na praia, mesmo a sombra o uso do protetor é aconselhável.
  6. Em caso de dor de cabeça, enjôo e tontura, procure rápido um atendimento médico!
Grávidas
A gestante pode pular o Carnaval sem problemas, mas deve observar alguns cuidados. Primeiro, é preciso ingerir líquidos com regularidade, para manter o corpo sempre hidratado. Como não é recomendável que a grávida fique muito tempo em jejum, o médico recomenda que a gestante leve alimentos saudáveis, como frutas, na bolsa. 

Também é preciso evitar os sapatos de saltos altos. “À medida que a barriga cresce, o centro de gravidade da gestante se altera e ela se desequilibra com maior facilidade. Além disso, as articulações ficam menos estáveis por causa do acúmulo de líquidos no organismo. Por isto, o salto pode propiciar um tombo que pode prejudicar o bebê”, alerta o especialista. Os carros alegóricos também devem ser evitados pelo risco de quedas.

 --------------------------
19 de Março 
Solenidade do Padroeiro da Igreja Universal,São José, 
esposo da   Virgem Maria.


São José Celebra-se hoje, 19 de março, a Solenidade de São José. Neste dia, a Igreja, espalhada pelo mundo todo, recorda solenemente a santidade de vida do seu patrono.

Esposo da Virgem Maria, modelo de pai e esposo, protetor da Sagrada Família, São José foi escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo.

Seu nome, em hebraico, significa “Deus cumula de bens”.

No Evangelho de São Mateus vemos como foi dramático para esse grande homem de Deus acolher, misteriosa, dócil e obedientemente, a mais suprema das escolhas: ser pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Messias, o Salvador do mundo.

"Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor tinha mandado e acolheu sua esposa" (Mt 1,24).

O Verbo Divino quis viver em família. Hoje, deparamos com o testemunho de José, “Deus cumula de bens”; mas, para que este bem maior penetrasse na sua vida e história, ele precisou renunciar a si mesmo e, na fé, obedecer a Deus acolhendo a Virgem Maria.

Da mesma forma, hoje São José acolhe a Igreja, da qual é o patrono. E é grande intercessor de todos nós.

Que assim como ele, possamos ser dóceis à Palavra e à vontade do Senhor.

São José, rogai por nós!
---------------------------------------------------------------
OBS.: 
- Hoje, 19 de Março, dia onomástico do Santo Padre Bento XVI (Joseph).
- No estado do Ceará, hoje, 19 de Março, comemora-se São José como Padroeiro Principal do Estado.
---------------------------------------------------------------------------- 
 

Comentário da Santa Missa - Dia de São José

Celebramos o padroeiro universal da Igreja, São José. Ele assumiu a missão de acompanhar e proteger sua esposa, Maria, e o Filho de Deus, Jesus, de quem foi pai adotivo. A exemplo de José do Egito, foi homem justo e fiel que Deus pôs como guarda de sua casa. É também protetor de todas as famílias e modelo dos operários.
Evangelho de hoje - Dia de São José
 (Lc 2,41-51)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa. 42Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume. 43Passados os dias da Páscoa, começaram a viagem de volta, mas o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o notassem. 44Pensando que ele estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Depois começaram a procurá-lo entre os parentes e conhecidos. 45Não o tendo encontrado, voltaram para Jerusalém à sua procura. 46Três dias depois, o encontraram no Templo. Estava sentado no meio dos mestres, escutando e fazendo perguntas. 47Todos os que ouviam o menino estavam maravilhados com sua inteligência e suas respostas. 48Ao vê-lo, seus pais ficaram muito admirados e sua mãe lhe disse: “Meu filho, por que agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura”.
49Jesus respondeu: “Por que me procuráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?” 50Eles, porém, não compreenderam as Palavras que lhes dissera. 51Jesus desceu então com seus pais para Nazaré, e era-lhes obediente.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor. 
 ------------------------ 

EXPLICAÇÃO DO EVANGELHO 

É esta a regra geral de todas as graças singulares concedidas a qualquer criatura racional: quando a divina providência escolhe alguém para uma graça singular ou para um estado elevado, concede à pessoa assim eleita todos os carismas que são necessários ao seu ministério.
Isto se verificou de forma eminente em São José, pai adotivo do Senhor Jesus Cristo e verdadeiro esposo da Rainha do mundo e Senhora dos Anjos, que foi escolhido pelo Eterno Pai para guarda fiel e providente dos seus maiores tesouros: o Filho de Deus e a Virgem Maria. E fidelissimamente desempenhou este ofício; por isso lhe disse o Senhor: Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor.
Consideremos São José diante de toda a Igreja de Cristo: não é acaso ele o homem eleito e singular, por meio do qual e sob o qual, de modo ordenado e honesto, se realizou a entrada de Cristo no mundo? Se, portanto, toda a Santa Igreja é devedora à Virgem Mãe, porque por meio dela recebeu Cristo, assim também, logo a seguir a ela, deve a São José uma singular gratidão e reverência,
Ele é na verdade o termo da Antiga Aliança, nele a dignidade dos Patriarcas e dos Profetas alcança o fruto prometido. Ele é o único que realmente alcançou aquilo que a divina condescendência lhes tinha prometido.
E não devemos duvidar que a intimidade, a reverência e a sublime dignidade que Cristo lhe tributou, enquanto procedeu na terra como filho para com seu pai, decerto também lha não negou no Céu, mas antes a completou e consumou.
Por isso não é sem motivo que o Senhor lhe diz: Entra na alegria do teu Senhor. De fato, apesar de ser a alegria da bem-aventurança eterna que entra no coração do homem, o Senhor prefere dizer-lhe: Entra na alegria, para insinuar misteriosamente que a alegria não está só dentro dele, mas o circunda de todos os lados e o absorve e submerge como abismo sem fim.
Lembrai-vos de nós, São José, e intercedei com as vossas orações junto do vosso Filho; tornai-nos também propícia a Virgem vossa Esposa, que é a Mãe d’Aquele que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo pelos séculos sem fim! Amen!
---------------------------------------------

Imagem de Destaque

Por que existe o sofrimento?

Como entender isso?
O sofrimento faz parte da vida do homem, contudo, este se debate diante disso. E o que mais o faz sofrer é sofrer inutilmente, sem sentido.

Saber sofrer é saber viver. Os que sofrem fazem os outros sofrer também. Por outro lado, os que aprendem a sofrer podem ver um sentido tão grande no sofrimento que podem até amá-lo.

No entanto, só Jesus Cristo pode nos fazer compreender o significado do sofrimento. Ninguém sofreu como Ele e ninguém como Ele soube enfrentá-lo [sofrimento] e dar-lhe um sentido transcendente. Ninguém o enfrentou com tanta audácia e coragem como Ele.

Há uma distância infinita entre o Calvário de Jesus Cristo e o nosso; ninguém sofreu tanto e tão injustamente como Ele. Por isso, Ele é o “Senhor do Sofrimento”, como disse Isaías, “o Homem das Dores”.

Só a fé cristã pode ajudar o homem a entender o padecimento e a se livrar do desespero diante dele.

Muitos filósofos sem fé fizeram muitos sofrer. Marcuse levou muitos jovens ao suicídio. Da mesma forma, Schopenhauer, recalcado e vítima trágica das decepções, levou o pessimismo e a tristeza a muitos. Zenão, pai dos estóicos, ensinava diante do sofrimento apenas uma atitude de resignação mórbida, que, na verdade, é muito mais um complexo de inferioridade. O mesmo fez Epícuro, que estimulava uma fantasia prejudicial e vazia, sem senso prático. Da mesma forma, o fazia Sêneca. E Jean Paul Sartre olhava a vida como uma agonia incoerente vivida de modo estúpido entre dois nadas: começo e fim; tragicomédia sem sentido à espera do nada definitivo.

Os materialistas e ateus não entendem o sofrimento e não sabem sofrer; pois, para eles o sofrer é uma tragédia sem sentido. Os seus livros levaram o desespero e o desânimo a muitos. O “Werther”, de Goethe, induziu dezenas de jovens ao suicídio. “A Comédia Humana”, de Balzac, levou muitos a trágicas condenações. Depois de ler “A Nova Heloísa”, de Rosseau, uma jovem estourou os miolos numa praça de Genebra. Vários jovens também se suicidaram, em Moscou, depois de ler “Os sete que se enforcaram”, de Leonid Andreiv.

Um dia Karl Wuysman, escritor francês, entre o revólver e o crucifixo, escolheu o crucifixo. Para muitos esta é a alternativa que resta.

Esses filósofos, sem fé, levaram muitos à intoxicação psicológica, ao desespero e à depressão, por não conseguirem entender o sofrimento à luz da fé.

Quem nos ensinará sobre o sofrimento? Somente Nosso Senhor Jesus Cristo e aqueles que viveram a Sua doutrina. Nenhum deles disse um dia: “O Senhor me enganou!” Não. Ao contrário, nos lábios e na vida de Cristo encontraram força, ânimo e alegria para enfrentar o sofrimento, a dor e a morte.

Alguns perguntam: se Deus existe, então, como Ele pode permitir tanta desgraça, especialmente com pessoas inocentes?

Será que o Todo-poderoso não pode ou não quer intervir em nossa vida ou será que não ama os Seus filhos? Cada religião dá uma interpretação diferente para essa questão. A Igreja, com base na Revelação escrita e transmitida pela Sagrada Escritura, nos ensina com segurança. A resposta católica para o problema do sofrimento foi dada de maneira clara por Santo Agostinho († 430) e por São Tomás de Aquino († 1274): "A existência do mal não se deve à falta de poder ou de bondade em Deus; ao contrário, Ele só permite o mal porque é suficientemente poderoso e bom para tirar do próprio mal o bem" (Enchiridion, c. 11; ver Suma Teológica l qu, 22, art. 2, ad 2).

Como entender isso?

Deus, sendo por definição o Ser Perfeitíssimo, não pode ser causa do mal, logo, esta é a própria criatura que pode falhar, já que não é perfeita como o seu Criador. Deus não poderia ter feito uma criatura ser perfeita, infalível, senão seria outro deus.

Na verdade, o mal não existe, ensina a filosofia; ele é a carência do bem. Por exemplo, a doença é a carência do estado de saúde; a ignorância é a carência do saber, e assim por diante.

Por outro lado, o mal pode ser também o uso errado, mau, de coisas boas. Uma faca é boa na mão da cozinheira, mas na mão do assassino... Até mesmo a droga é boa, na mão do anestesista.

O Altíssimo permite que as criaturas vivam conforme a natureza de cada uma; permite, pois, as falhas respectivas. Toda criatura, então, pelo fato de ser criatura, é limitada, finita e, por isso, sujeita a erros e a falhas, os quais acabam gerando sofrimentos. Assim, o sofrimento é, de certa forma, inerente à criatura. O Papa João Paulo II, em 11/02/84, na Carta Apostólica sobre esse tema disse que: “O sentido do sofrimento é tão profundo quanto o homem mesmo, precisamente porque manifesta, a seu modo, a profundidade própria do homem e ultrapassa esta. O sofrimento parece pertencer à transcendência do homem” (Dor Salvífica, nº 2). “De uma forma ou de outra, o sofrimento parece ser, e de fato é, quase inseparável da existência terrestre do homem” (DS, nº 3).

Ouça podcast do padre Eliano:
Foto Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com
Prof. Felipe Aquino, casado, 5 filhos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de Aprofundamentos no país e no exterior, já escreveu 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Trocando Idéias". Saiba mais em Blog do Professor FelipeSite do autor: www.cleofas.com.br 
--------------------------------

Por que as crianças e os inocentes sofrem?



Muitos perguntam por que as crianças, tão inocentes, sofrem e se Deus não estaria sendo injusto por permitir isso. 

Deus não pode ser injusto, senão não seria Deus. As crianças e os inocentes sofrem porque participam da dignidade humana e compartilham a sorte da humanidade. Não é preciso inventar teorias complicadas para explicar o sofrimento; nem mesmo culpar a Deus pelo erro que é nosso. 

O Todo-poderoso não interfere no sofrimento da criança, fazendo milagres para impedir o mal a todo instante, a fim de não destruir a ordem natural que Ele mesmo criou. O Senhor não quis fazer o homem e o mundo como um teatro de marionetes, teleguiado por Ele, não. Ele lhe impôs leis que regulam a vida e a natureza

Em consequência do pecado, o sofrimento e a morte fazem parte da história de todos os homens, inocentes ou pecadores. Muitas vezes, um inocente morre por causa de um pecador. Os acidentes das estradas comprovam isso todos os dias; e ninguém pode culpar ao Senhor por isso, mas sim, aos verdadeiros culpados, que são os maus.
São Paulo ensina que “o salário do pecado é a morte” (cf. Rm 6,23); e esta pode atingir a todos, inocentes e culpados, porque a humanidade é solidária; é unida. Cada pecado atinge todos os homens; assim como cada ato bom também os atinge. 

A fé ensina que Deus Pai, pelo sofrimento redentor de Jesus Cristo, resgatará todo sofrimento da criança inocente e fará cada uma ressuscitar um dia com Cristo.
Não devemos nos esquecer de que os primeiros mártires da Igreja são os inocentes que morreram pelas mãos de Herodes, em Belém (cf. Jr 31,15). Hoje são santos mártires da Igreja. O sofrimento destes não foi em vão. Não podemos olhar os fatos só com os olhos deste mundo; é preciso vê-los à luz da fé.
A Paixão e Morte de Jesus Cristo resgatou o mundo. Ouvi uma história muito bela que não sei se é verídica, mas que nos faz pensar. 

Em algumas cidades americanas há aquelas pontes sobre um largo rio, formadas por duas partes que se abrem e levantam quando passam sob elas os navios. Havia uma dessas construções, que além de tudo, continha uma estrada de ferro sobre ela. Um homem a operava. Quando vinha o trem ele baixava a ponte para este passar, quando vinha um navio, ele a levantava comandando máquinas e engrenagens enormes, que ficavam sob os seus pés. Certo dia, o seu filho, pequeno, foi visitá-lo, com uma bola nas mãos. Ao brincar com esse objeto, este escapou-lhe e caiu lá no meio das engrenagens. Logo o garoto desceu os degraus para pegar a bola, sem que o pai pudesse impedi-lo, e se meteu no meio das grandes engrenagens. E eis que o trem estava vindo; e ele teria de baixar logo a ponte sabendo que o filho estava lá em baixo correndo risco. Gritou, desesperado, para que o filho deixasse a bola e subisse, mas este não o ouvia. Eis que o trem se aproximava rápido, e o homem sentiu que não teria tempo de ir buscar o garoto antes de o trem passar… Ficou com o coração na mão… O dilema era enorme: se baixasse a ponte as engrenagens matariam o seu filho, se não a baixasse seria uma enorme tragédia e muitas pessoas pereceriam no acidente. Não teve alternativa, com o coração sangrando e os olhos cheios de lágrimas, baixou a ponte… o trem passou, e as pessoas, como faziam de costume, lhe abanavam os lenços e lhe davam adeus e sorrisos… 

O Pai entregou Jesus por nós assim… Ainda duvidaremos do Seu amor? Por isso, diante da dor e da morte, mesmo de uma criança inocente, façamos silêncio e jamais ousemos culpar a Deus; não somos dignos nem capazes de compreender os Seus santos desígnios. É melhor não crer em Deus do que crer em um Deus que seja malvado.

DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – 1ª Sexta-feira do mês.

O SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS.

             > ORAÇÕES AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. 


             A Primeira Sexta-feira de cada Mês.

                  INTRODUÇÃO.

          Como conseqüência das aparições de Nosso Senhor a Santa Margarida Maria Alacoque no mosteiro de Paray-le-Monial a partir de 1673, este culto teve um incremento notável e adquiriu a sua feição hoje conhecida. Nenhuma outra comunicação divina, fora as da Sagrada Escritura, receberam tantas aprovações e estímulos da parte do Magistério da Igreja como esta.
         Entre os documentos mestres nesta matéria encontramos a encíclica de Pio XII, “Haurietis aquas”, de 15 de Maio de 1956. Pio XII salienta que é o próprio Jesus que toma a iniciativa de nos apresentar o Seu Coração como fonte de restauração e de paz:
            “Vinde a mim, todos vós, que estais cansados e oprimidos, que Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mt. 11, 28-30)

         Não é por acaso que as aparições a Santa Margarida Maria deram-se num momento crucial em que se pretendia afirmar secularização e que a devoção ao Sagrado Coração apareceu sempre como o mais característico de todos os movimentos que resistiram à descristianização da sociedade moderna.

A GRANDE REVELAÇÃO.

         A chamada Grande Revelação foi feita a Margarida Maria durante a oitava da festa do Corpus Domini (Corpus Cristhi) de 1675. 

         Mostrando o seu Coração divino, Jesus confiou à Santa:
         “Eis o Coração que tanto amou os homens, que nada poupou, até se esgotar e se consumir para lhes testemunhar seu amor. Como reconhecimento, não recebo da maior parte deles senão ingratidões, pelas suas irreverências, sacrilégios, e pela tibieza e desprezo que têm para comigo na Eucaristia. Entretanto, o que Me é mais sensível é que há corações consagrados que agem assim. Por isto te peço que a primeira sexta-feira após a oitava do Santíssimo Sacramento seja dedicada a uma festa particular para  honrar Meu Coração, comungando neste dia, e O reparando pelos insultos que recebeu durante o tempo em que foi exposto sobre os altares”.
         “Prometo-te que Meu Coração se dilatará para derramar os influxos de Seu amor divino sobre aqueles que Lhe prestarem esta honra”.

         Jesus apareceu-lhe numerosas vezes de 1673 até 1675. Dos seus colóquios com Nosso Senhor distinguem-se classicamente 12 promessas. Eis alguns extratos da Mensagem do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Maria. (10)

            “Os fiéis acharão, pelo intermédio desta devoção amável, todos os socorros necessários ao seu estado, ou seja, a paz nas suas família, o alívio nos seus trabalhos, as bênçãos do Céu em todas as suas empresas, a consolação nas suas misérias, e é propriamente neste sagrado Coração que alcançarão um lugar de refúgio durante toda a vida e principalmente na hora da sua morte”.

         “O Meu divino Salvador fez-me compreender que aqueles que trabalham pela salvação das almas encontrarão a arte de comover os corações mais empedernidos e trabalharão com um êxito maravilhoso se eles mesmos estiverem penetrados de uma terna devoção ao divino Coração”.         “Asseverando-Me que Ele recebia um contentamento singular em ser honrado sob a figura deste Coração de carne, cuja imagem desejava fosse exibida em público, com a finalidade – acrescentou – de tocar por seu intermédio o coração insensível dos homens; prometendo-me que derramaria em abundância todos os dons que possui em plenitude sobre todos aqueles que O honrassem; e que em todo lugar em que esta imagem fosse ostentada para ser objeto de especial honra ela atrairia toda sorte de bênçãos”.

         “Sinto-me totalmente imersa neste divino Coração; (…) estou como num abismo sem fundo onde Ele me revela os tesouros de amor e de graça que concede às pessoas que se consagram e sacrificam para lhe render e alcançar toda a honra, amor e glória de que são capazes”.

            “Confirmou-me o contentamento que recebe em ser amado, conhecido e venerado pelas suas criaturas e tão grande que prometeu-me que todos aqueles que Lhe sejam devotados e consagrados não morrerão jamais”.

            “Numa sexta-feira, durante a Sagrada Comunhão, disse estas palavras à sua indigna escrava: “Prometo-te, na excessiva misericórdia do meu Coração, que o seu amor onipotente obterá a todos aqueles que comunguem nove primeiras sextas-feiras do mês seguidas a graça da penitência final, que não morrerão na minha desgraça, sem receber os seus sacramentos e que o Meu divino Coração será o seu refúgio assegurado no último momento”. “Nada temas, Eu reinarei apesar dos meus inimigos e de todos aqueles que procurarão opor-se”.
            “Este amável Coração reinará, apesar de Satanás. Isto me arrebata de alegria.” “Afinal reinará, este amável Coração, apesar de todos os que se quererão opor. Satã e todos os seus seguidores serão confundidos”.

 
AS DOZE PROMESSAS DO SAGRADO CORAÇÃO.
A SANTA MARGARIDA MARIA ALACOQUE.
  1. A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de meu Sagrado Coração.
  2. Eu darei aos devotos do meu Coração todas as graças necessárias a seu estado.
  3. Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias.
  4. Eu os consolarei em todas as suas aflições.
  5. Serei seu refúgio seguro na vida, e principalmente
    na hora da morte.
  6. Lançarei bênçãos abundantes sobre todos os seus trabalhos e empreendimentos.
  7. Os pecadores encontrarão em meu Coração fonte inesgotável de misericórdias.
  8. As almas tíbias se tornarão fervorosas pela prática dessa devoção.
  9. As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição.
  10. Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais empedernidos.
  11. As pessoas que propagarem esta devoção terão os seus nomes inscritos para sempre no meu Coração.
  12. A todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna.
Fonte: http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20Página/As%20Devoções/1.%20DEVOÇÕES%20A%20JESUS%20CRISTO/Ao%20Sagrado%20Coração%20de%20Jesus/Revelação%20e%20Promessas%20do%20Sag%20Cor%20de%20Jesus..htm  

---------------------------------------

Formações

Carnaval

Imagem de Destaque

Vão-se as máscaras e ficam os filhos

Neste carnaval você pode escolher entre o ser e o representar
Existe um velho ditado popular que diz: "Vão-se os anéis e ficam-se os dedos!" Fazendo um trocadilho, podemos dizer que, no carnaval, vão-se as máscaras e ficam....?

Nas máscaras caídas, após uma grande noite de carnaval, podem ser encontrados pedaços de pessoas. Olhando mais de perto, encontramos as lágrimas daqueles que saíram envolvidos por uma máscara e, por alguns dias, se transformaram em grandes atores fazendo o papel de uma vida que não lhes pertencia, e por fim, caíram no chão, como o resto de suas fantasias.

A palavra "persona", no uso coloquial, significa um "papel social" ou "personagem" vivido por um ator. É uma palavra italiana derivada do latim e que se refere a um tipo de máscara feita para ressoar a voz do ator (per + sonare = "soar através de"), permitindo que fosse bem ouvida pelos espectadores, assim como dar ao ator a aparência exigida pelo papel. A máscara é usada para fazer ecoar um personagem.

Personagens, no entanto, são os objetos de uma história. Pode ser um homem ou animal, mas sempre é um ser fictício, um objeto ou qualquer coisa que o autor quer representar.

Personagens são encontrados em obras de literatura, cinema, teatro, televisão, desenho, videogames, marketing. Existem para isso, ou seja, são seres irreais que dão forma a uma ideia. Nós não somos personagens, não precisamos de máscaras para inventar nossas histórias, não precisamos nos servir delas para que a nossa voz seja ecoada. Pois Deus nos criou à Sua imagem (cf. Gn 1,27), por essa razão, não devemos agir como escravos das máscaras que fomos colocando ao longo da vida.

Neste carnaval você pode escolher entre o ser e o representar, mas lembre-se de que todos nós somos frutos de nossas escolhas e devemos conviver com as consequências delas. Não são poucos jovens que, durante estes dias de festa, se decidem por representar com o uso das drogas, da violência e do sexo desregrado e sem limites e, no final de 4 dias de “folia”, o ser está despedaçado, como objetos que foram usados e depois jogados fora.

Portanto, ao longo do caminho, mesmo que pedaços de nós estejam no chão, somos chamados a recolher nossos cacos, levantar a cabeça, e recomeçar, sem máscaras, livres, pois, já não somos mais escravos, mas sim, filhos; e, como filhos, também somos herdeiros: isso é obra de Deus (cf. Gl 4,7).

Assim, vão-se as máscaras e ficam os filhos, eleitos, livres, criados à imagem e semelhança do Pai.

Ricardo Gaiotti Silva
Advogado, missionário da Comunidade Canção Nova

ricardo@geracaophn.com

---------------------------------------------
-------------------------------------------

terça-feira, 1 de março de 2011


O primeiro Dia Internacional da Mulher do governo Dilma

Não se concebe mais uma conferência atrás de outra
Fátima Oliveira
Médica - fatimaoliveira@ig.com.br


Será inesquecível?

Depende. Pense na manchete: "Dilma anunciará prioridade máxima para as  mulheres", no 8 de março, Dia Internacional da Mulher. O que é  prioridade máxima para as mulheres no governo da primeira presidente  do Brasil? A opressão de gênero está encerrada num nó górdio. Para  desatá-lo (ou cortá-lo?), urge que o governo saiba que necessidades   imediatas e estratégicas de gênero são demandas igualmente  importantes. Como na música dos Titãs: "A gente não quer só comida/ A  gente quer comida/ Diversão e arte". Falo impropérios?

As "necessidades imediatas de gênero" - dizem respeito às condições  materiais de existência (moradia, saneamento, transporte, equipamentos  sociais etc) e acesso aos direitos legais; e "necessidades  estratégicas de gênero" - são os aportes indispensáveis às perspectivas de equidade entre os gêneros. Inquieta-me pensar que o governo Dilma decida atuar apenas no viés economicista das necessidades imediatas de gênero, insuficiente para superar as muitas nuances da cidadania de segunda categoria das mulheres.

Exemplo paradigmático é a violência contra as mulheres. Pesquisa nacional (Fundação Perseu Abramo e Sesc), divulgada em 21.2.2011, estima que, a cada dois minutos, cinco mulheres são espancadas no Brasil - evidência de que o tema se enquadra nas necessidades  imediatas de gênero, exigindo equipamentos públicos de apoio à mulher em situação de violência, como delegacias de mulheres e casas abrigo, e aplicação de leis - tudo agindo sobre fatos consumados.

A prevenção da violência de gênero exige estratégias de mudanças dos  padrões culturais patriarcais, machistas e racistas, que consideram a mulher propriedade privada do homem, incluindo a versão reeditada por vertentes religiosas contemporâneas, apoiada por parlamentares conservadores que, não tendo mais em quem mandar, aspiram a legislar sobre os corpos femininos.

Do dito até agora sobre a "prioridade máxima para as mulheres" não aponta para investimentos na mudança de padrões culturais patriarcais, a não ser que esteja embutido nos eixos da 3ª Conferência de Políticas para as Mulheres (12 a 15.12.2011): "Autonomia das mulheres e combate à pobreza", que, usando de honestidade intelectual, é aquém do necessário sem o direito ao aborto.
Uma coisa é o que o governo acha que deve fazer e se dispõe a fazer. Outra bem diferente é pautá-lo para avançar na trilha de mais cidadania feminina. É a hora e a vez de indagarmos sobre o papel de uma conferência nacional de políticas para as mulheres hoje. É o instrumento privilegiado da luta feminista para a interlocução com o governo? Por que ainda não foi feita uma avaliação do impacto das conferências e dos planos delas decorrentes na vida das mulheres?

É da alçada do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, já que referendou o formato de conferência nacional, inovar quanto às preparatórias municipais e estaduais, pois o modelito delas de há muito está esgotado: reedição do Muro de Lamentações (ai, que fadiga!). Não se concebe mais, pela solene inutilidade delas, uma conferência atrás da outra sem avaliar o que resultou do definido nas anteriores nos âmbitos municipais, estaduais e federal. Conferência para cumprir cronograma governamental de concertação social e, não, de diálogo em pé de igualdade, e fazer proselitismo político é fora de propósito e um modo de dizer, acriticamente, amém ao governo.

É preciso honrar o centenário Dia Internacional da Mulher!
------------------------------------------- 
Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística
































































































Senhor Jesus, tu me deste a graça de ser ministro e servo de teu Corpo abençoado. Quantas vezes levo o calor de tua  visita  aos doentes  da  minha  comunidade  e distribuo  teu  Corpo aos homens e mulheres famintos na hora da celebração da missa.
Tenho  muita alegria   em  ser  teu  servidor  e poder  encontrar  pessoas  simples  e pobres,  doentes  e idosas esperando a visita reconfortadora  de teu amor.
Que eu seja digno servidor,  que  eu  possa  ter sempre  na minha  vida esta atitude de serviço e   de dom que transpareceram  tão  belamente em  tua  trajetória  humana.   Hoje  ainda,  na  glória,  no  mistério  do sinal do Pão, tu te entregas aos homens e te serves de minhas mãos e de minha vida para fazer-te oferenda.

 
 
   A palavra ministério ( do latim, ministerium ) significa serviço “ função servil” e todo cristão é chamado a servir, é como uma espécie de prestação de serviços a indivíduos e grupos, por parte de uma pessoa que o faz de modo espontâneo e organizado.
   O ministério tem uma característica comunitária: “ A cada um Deus confere dons para que possa colocá-los a serviço da comunidade” ( Rom. 12,4-5).
   “Todos nós conforme o Dom que cada um recebeu de Deus, consagrai-nos ao serviço uns dos outros, como bons dispensadores das diversas graças de Deus” ( I Pd 4,10 ).
   É missão da Igreja pregar o Evangelho, pois a Igreja toda é ministerial, é prestadora de serviços. Ela é servidora, porque o próprio Jesus falou:   “Eu vim para servir” o Pai enviou seu filho para prestar serviço à humanidade.
   Nós estamos no mundo para dar continuidade ao serviço de Deus, é tarefa nossa, porque a Bíblia nos fala muito dos ministérios.  

 
Existem 2 tipos de ministérios:
 
A – Ministérios Ordenados – aqueles que recebem o Sacramento da Ordem > Diácono, Padre e Bispo. A Igreja atribui um valor muito especial a esses ministérios, porque os considera instituídos por Cristo. No Sacramento da Ordem, é o próprio Cristo que investe da sua autoridade os ministros ordenados.
 
 
B – Ministérios não  Ordenados – É certo que ao lado dos Ministérios Ordenados, a Igreja reconhece também o lugar dos Ministérios não Ordenados que são aptos para assegurar um especial serviço da mesma Igreja. São os que têm como base o batismo e a crisma. Não estão acima do padre, não o superam, mas prestam um serviço próprio, original, insubstituível.
 
 
MINISTÉRIO >  É um serviço prestado à comunidade, respondendo a uma necessidade duradoura ou permanente desta comunidade. A pessoa que tem esta função representa a própria comunidade, agindo em nome dela, mas com muita cautela, longe de ser autoritário, longe de exercer poder. O ministro deverá conscientizar-se de que a sua preocupação está votada para uma relação intima entre o ministério e a comunidade. Ele carregará consigo, que o ministério é estar a serviço da comunidade, isto é, de todos os cristãos, tornando essa comunidade mais ativa, mais missionária.
 
 
  
        É certo que, ao lado dos Ministérios Ordenados ,  a igreja reconhece também  o lugar de Ministros não  Ordenados que são aptos para assegurar um especial serviço da mesma igreja.
        A instituição dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão está regulamentada pela instituição da Sagrada Congregação para a Disciplina dos Sacramentos.                      
        “Immensae Caritatis” de 29 de janeiro de 1.973.
        ( AAS 65,  1.973, PP 264  - 271 ).
 
O exercício do ministério extraordinário está autorizado pelo § 3 do CAN 230.  consubstanciado pelo   § 2 do CAN 910 do Código de Direito Canônico.
OBS: O sinal § está indicando “parágrafo”.
 
CÂN 230 § 3 : “Onde a necessidade da igreja o  aconselhar, podem  também os leigos, na falta dos   ministros,   
            mesmo não sendo  leitores  ou  acólitos, suprir  alguns  de  seus  ofícios,  a  saber    exercer   o
            Ministério  da  Palavra,  presidir as  orações  litúrgicas,   administrar o Batismo e distribuir   a 
            “Sagrada Comunhão,” de acordo com as prescrições do direito.
 
CÂN 910 § 1 : Ministro Ordinário da Sagrada Comunhão são:
                         O Bispo, o Presbítero e o Diácono.
 
                §  2 : Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão e o acólito ou outro fiel designado  de   acordo
                         com o CÂN 230 § 3.
 
 
CÂN 911 § 1 : Tem dever e direito de levar a Santíssima Eucaristia  como Viático aos doentes, o  Pároco,   os
                         Vigários   paroquiais,  os  capelães,   como   também o Superior da Comunidade nos  institutos
                         Religiosos clericais ou nas sociedades de vida apostólica, em relação a todos que se encontram
                          na casa.
 
                 § 2 : Em caso de necessidade ou com a licença ao menos presumida do Pároco, do Capelão, ou     do
                         superior,  a  quem  se  deve  informar   deve  fazê-lo  qualquer  Sacerdote  ou outro Ministro da
                         Sagrada Comunhão.
 
  
NOTA  AO  CANON  910:
 
   A designação dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão está regulamentada pela Instrução da Sagrada Congregação para a disciplina dos  Sacramentos.
“ IMMENSAE CARITATIS” de 29 de janeiro de 1.973. Não se deve esquecer o caráter extraordinário deste Ministros. A este respeito, a citada Instrução adverte:
“ Dado que estas faculdades foram concedidas unicamente em vista do bem espiritual dos fiéis e para os casos em que se verifica verdadeira necessidade, tenham os sacerdotes presente que, em virtude das mesmas não ficam eximidos do dever de distribuir a Santíssima Eucaristia aos fiéis que legitimamente a desejam receber e de modo particular do dever de a levar e ministrar aos doentes ( Jesus Hortal ).”
A instrução “Fidei Custos”, do 30/04/69 do Papa Paulo VI preconiza: Confere-se a quem recebe a investidura a missão de distribuir a Santa Comunhão a si e aos fiéis, e de levá-la aos enfermos, idosos em suas residências ou hospitais, quando impossibilitados de irem à Igreja.
 
 
A formação de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão deverá voltar-se para os seguintes pontos:
 
A  - Cooperar diretamente com o pároco na Pastoral Eucarística.
B  -  Levar a Sagrada Comunhão aos enfermos e idosos e aos impossibilitados de irem à Igreja.
C  -  Auxiliar o pároco na Celebração Eucarística e na Liturgia da Palavra.
D  -  Agir sempre em comunhão com o pároco e sob a orientação da hierarquia da Igreja Particular da diocese  
         a que pertence.     
E  -  Ter como base o ministério eucarístico no qual o Corpo de Cristo nos é oferecido como alimento até que
        Ele venha. 
 
Sendo um setor do Centro Pastoral, deverá o Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão estar apto a participar da Pastoral de Conjunto com os ministérios afins: ( Diáconos, acólitos, evangelizadores...).
 
 
 
O aprimoramento espiritual dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão deverá realizar-se dentro das seguintes normas:
 
A – Estudo e pesquisa dos documentos da Igreja com avaliações.
B -  Retiros em grupo
C -  Reciclagem por meio de cursos,  conferências,  seminários  e congressos  promovidos em âmbito regional
       ou paróquia.
D -  Permanente atualização teológico – pastoral à luz da Eucaristia, buscando a santificação própria e do outro
       Atendendo com dedicação aos serviços caritativos.
 
Cada Ministro, por ser perante o mundo, testemunho da ressurreição e da vida do Senhor Jesus, e sinal do Deus vivo.
Deve aprimorar-se na oração, praticar a penitência, conhecer os documentos da Igreja e viver a doutrina cristã.
 
As coordenadorias arquidiocesanas regionais e paroquiais, em sintonia com o responsável por este ministério, devem oferecer os subsídios necessários para a realização dos aprofundamentos nos correspondentes níveis.
 
 
 
O Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão tem por objetivo suprir uma necessidade da igreja, atribuindo ao ministro extraordinário o desempenho das seguintes atividades:
 
 
A – Ministrar a Sagrada Comunhão a si e aos outros fiéis, quando necessário, durante a Santa Missa. 
 
B -  Levar a Santa Eucaristia aos hospitais, residenciais, asilos, leprosários, favelas   e aonde a caridade   cristã
       exigir a sua presença, tendo sempre em vista as seguintes considerações:
       1ª – Estabelecer contato com os familiares.
        2º - Inteirar-se da situação econômica e vida cristã da família,   oferecendo,    na medida   do   possível,  a
               solução  adequada aos problemas constatados.
        3º - Proporcionar aos doentes e seus familiares o conforto cristão.
        4º - Preparar o doente para a recepção dos Sacramentos da confissão e da Unção dos Enfermos.
        5º - Procurar despertar o interesse de todos os membros da família do assistido   para    que participem  da
               celebração.
        6º - Atender também aos idosos, mesmo não sendo doentes.
        7º - Visitar as famílias, em outras circunstâncias,   para   uma   conversa   amiga   ou   leitura  da Palavra e
                orações.
 
C – Presidir o culto eucarístico na ausência do sacerdote.
 
D – Irradiar sempre que oportuno, a mensagem da Palavra de Deus por ocasião das visitas, ou no ambiente
       comunitário, de forma evangelizadora.
 
E -  Aproveitar o tempo de velório para uma adequada celebração dando um sentido cristão à morte.
 
F -  Formar a comunidade cristã através da Palavra de Deus, despertar-lhe a fé e prepará-la para celebração
       eucarística.
 
G -  Expor e repor o Santíssimo Sacramento, nos termos do CAN  943.
 
H-    Participar ativamente da festa de Corpus Christi, congressos eucarísticos e semanas eucarísticas.
 
I -  Zelar pela dignidade do culto eucarístico e de tudo que lhe diz respeito.
 
J -  Batizar em caso de necessidade.
 
Os ministros extraordinários deverão ajudar-se mutuamente e confraternizar-se entre si, tanto no plano espiritual como no plano material.
O ministro extraordinário deverá desenvolver suas atividades sincrônica e harmoniosamente com os ministérios afins nas outras pastorais da Igreja ( nos termos do § 2 do titulo 2. )

 
Antes do encaminhamento do candidato a este ministério, deve a coordenação geral, regional ou paroquial proceder a um levantamento criterioso da sua vida social e religiosa.
Esse levantamento deverá satisfazer as seguintes condições:
 
A -  Ser católico e Ter idade igual ou superior a 25   anos,  salvo  casos   especiais,   plenamente  estudados   e
       Analisados.
B -  Ter vocação e possuir aptidão par os serviços da  Igreja.
C -  Possuir comprovada idoneidade moral, saúde  mental e equilíbrio emocional.
D -  Ter vida cristã autentica e disponibilidade para a Igreja.
E -  Ser indicado pela comunidade com encaminhamento do pároco. Que não seja escolhido para tal função
       Alguém que possa dar caso a estranheza da parte dos fiéis.
F -  Comprometer-se com a linha de pastoral da arquidiocese, assumindo os desafios de sua região pastoral.
G -  Quando casado, viver em harmonia com o sacramento do matrimonio e contar com a aceitação do cônjuge
        e dos filhos.
H -  Exercer atividades profissionais compatíveis com os compromissos do Batismo e da Crisma.
I -  Não praticar maus hábitos.
 

--------------------------------------------------------------------------






2 comentários:

Iraci disse...

Ola! boa tarde meu nome e Iraci Soares SOU CURADORA DO MUSEU DA ORDEM DOS FRADES CAPUCHINHOS EM SÃO LUIS MARANHÃO E ESTOU ORGANIZANDO UMA EXPOSIÇÃO SOBRE A VISITA DO SNTISSIMO PADRE O PAPA JOÃO PAULO II A CIDADE DE SAO LUIS MARANHÃO EM OUTUBRO DE 1991 EM MINHAS PESQUISAS ENCONTREI MUITAS INFORMAÇOES SOBRE A VISITA EM SEU BLOG! GOSTARIA DE UM CONTATO DIRETO COM VOSSA REVEREDISSIMA. VOU DEIXAR MEU E:MAIL: iraci_soares1983@hotmail.com PARA CONTATO E GOSTARIOA SE POSSIVEL UM TELEFONE PARA CONTATTO LIMITADO AO EXPOSTO FIQUE COM MEUS VOTOS DE ESTIMA E CONSIDERAÇAO, UM FORTE ABRAÇO E QUE DEUS ABENÇOE SEMPRE E CONTINUE COM ESSE AFAGO PELA CULTURAL DE UMA NAÇAO...

Lusmar Paz Leite disse...

Iraci, tudo bem? Sou-lhe grato pela sua visita ao meu blog, e pela atenção a minha pessoa no que diz respeito às pesquisas sobre a visita do Papa no nosso querido estado do Maranhão.
Estou disposto,sim, a colaborar com vc.
Sucesso no seu trabalho!
Deus lhe abençoe!
Lusmar Paz