Dois pensamentos aos leitores e leitoras deste blog.

Dois pensamentos de boas-vindas aos leitores e seguidores deste blog:
- Mesmo que vivas um século, nunca deixes de aprender!!!
- O importante não é saber tudo, e sim, nunca perder a capacidade de aprender!



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

20 de agosto, festa do meu aniversário natalício; Filosofando: o que seria o homem sem Deus? - Nosso blog, 20 mil visualizações; Novos seguidores do Blog; João Paulo II na vida do Lusmar; Os Sete pacados mortais da Crase ; Como falar em público...

20 de Agosto - Festa do meu Aniversário Natalício!
Sou eternamente grato a Deus-Pai, pelo "DOM" da minha "VIDA"!



Amigos(as), 
Obrigado pela amizade e pelas orações de vocês!
Agradeçamos a Deus pelo dom da nossa vida!
Deus é um Pai maravilhoso!!! Obrigado,  Deus querido!!!!
---------------------------- 

"A gratidão é a memória do coração!"
(Pe. Dr. José Benone do Nascimento)
(Colega de Seminário e meu grande amigo)
-----------------------------------------



Foto: Meu pai, minha mãe (in memoriam), e eu, aos 6 meses de idade.


Foto: à esquerda - Lusmar como seminarista em 1991 e à direita, Lusmar em 2010.
Ponho a minha vida no Coração de Jesus.

  
Minhas queridas tias-mães, autênticas mães e verdadeiras amigas.Jóias preciosas guardadas dentro do meu coração.



Minha segunda casa. Igreja Matriz, Paróquia de N.Sra. da Conceição - Aracoiaba-CE.
Imagem de Nossa Senhora da Conceição - Padroeira Principal de Aracoiaba.

Nossa Senhora é uma Mãe Maravilhosa.

---------------------------------------------------.



Filosofando :
O que Seria do homem sem Deus. Nada!
Seria vento que sopra sem direção, sem rumo.
Deus nos chama a servi-lo, antes mesmo de vir ao mundo.
“Antes de formar você no ventre de sua mãe, eu o conheci; antes que você fosse dado à luz, eu o consagrei, para fazer de você profeta das nações”. (Jr. 1,5)
Seremos eternamente gratos pelo dom da vida, sem ela não podemos louvar e adorar, Aquele que nos deu tudo de si, esvaziando-se completamente por amor a cada um nós.
Se a vida é um mistério, a morte é passagem.
Se Deus é tudo, o homem não é nada.
A vida passa mais Deus permanece.
Se existe paraíso não sabemos mais o repouso do homem é o coração de Deus.
Está vazio? Complete-se de Deus. Abasteça-se de Deus. Busque Deus.
É tempo de viver a vida em Deus.
Os filósofos morreram pensando no sentido da vida, enquanto Deus era o próprio sentido.
Não se encontra sabedoria somente nos livros, mas em Deus que é fonte inesgotável de sabedoria.
A vida só tem sentido porque existe a morte, ela é porta de retorno pra Deus.
O nosso Deus não é Deus de morte mais de vida.
 -----------------------------------------------------------------------

Nosso Blog: 20 Mil Visualizações!!!
Obrigado aos leitores e seguidores deste blog.
Deus lhes abençoe com paz e saúde!!!
-----------------------------
Novos seguidores deste blog:

Leilane-Aracoiaba-CE.
Alunos e Educadores do Projeto Garagem Digital,Aracoiaba.
Domingos Pereira dos Santos
Áurea Sampaio
Antônio Siqueira 49
Ivone Dalbosco
Carlos Roberto Torres Ferreira.
Sejam bem-vindos! Deus lhes abençoe!
 -------------------------------------------
João Paulo II na vida do Lusmar!!!

Nesta Festa do Meu Aniversário Natalício, gostaria de compartilhar com vocês as alegrias que vivi quando tive a graça de conhecer pessoalmente o Papa João Paulo II, e receber de sua mãos, Jesus Hóstia Santa.



VISITA DO PAPA JOÃO PAULO II À CIDADE DE SÃO LUÍS

  MARANHÃO, NO DIA 14 DE OUTUBRO DE 1991.
Observação:Nesta época eu era seminarista ligado a Diocese do Brejo dos Anapurus - Maranhão.
Residia no Seminário Interdiocesano Santo Antônio - São Luis, Maranhão.
 
O Senador José Sarnei cumprimenta o Santo Padre na chegada ao aeroporto de São Luis – Maranhão.

As multidões na Ponte São Francisco, saúdam a passagem de João Paulo II no papa-móvel.
Nesse momento os seminaristas aguardavam o Sumo Pontífice na Igreja de Santo Antônio.

No dia 14 de Outubro de 1991, o Papa João Paulo II visitava São Luís – Maranhão. O povo Maranhense ficou numa grande expectativa ante a chegada do Vigário de Cristo em sua terra. Nós, seminaristas, nem se fala, principalmente porque o Santo Padre seria hospedado no Centro Teológico do Maranhão, prédio ligado ao nosso Seminário, cuja pequeníssima separação era a nossa quadra de esporte.
A Expectativa era geral. Estávamos todos envolvidos nos preparativos ante a grande festa que estava para acontecer.
Foto:Sacerdote que me fez uma grande e memorável surpresa para mim. Leaim o relato:


 Foto: Pe. Panico, na época. Atualmente Dom Panico, Bispo Diocesano do Crato-CE.

 Veio então, a grande e feliz surpresa para mim! Encontrava-me na Faculdade, na Sala de Aula, quando alguém ... me chamou para dirigir-me ao refeitório do seminário. Saí da sala de aula sem ter a mínima idéia do que iria acontecer comigo. Lá chegando, encontrei o Pe. Panico (hoje, Dom Panico, Bispo da Diocese do Crato), que falou que eu havia sido escolhido para acolitar (ajudar) e, naturalmente ,comungar na Missa presidida pelo Santo Padre o Papa João Paulo II. Não me contive de tanta alegria. Agradeci ao Pe. Panico, -  mestre de cerimônia da Arquidiocese de São Luis - e saí correndo em direção ao orelhão telefônico que havia na sala de recepção do seminário, para dar a boa e feliz notícia para minhas queridas tias-mães em Aracoiaba-CE. Depois retornei a sala de aula, mas confesso que não entendi mais nada do que o padre-professor estava explicando, pois meus pensamentos, alegria, emoção e expectativa, se misturavam no liquidificador de minha mente. A CPU de minha mente estava processando dados de felicidade e agradecimento a Deus pelo grande presente a mim oferecido. Por que fui escolhido no meio de tantos seminaristas? Perguntava a mim mesmo... porém, não encontrava resposta  Depois, calmamente, tive a resposta: “ Deus é maravilhoso, e, em sua misericórdia e bondade, quis dar-me esse presente por amor e com amor”, presente esse que nunca esqueci e que jamais vou esquecê-lo.
Foi um grande e inesquecível presente: receber Nosso Senhor Jesus Cristo eucaristicamente das mãos de um "Papa", ou melhor, de um "Papa Santo". Eu não tinha méritos para tão grande presente, mas Jesus em sua inexplicável MISERICÓRDIA, me fez por merecer tão grande novidade. Deus é maravilhoso!!! Deus é 10!!!

Estava se aproximando a chegada do Papa a São Luis.-Maranhão .
Juntamente comigo, foram escolhidos mais dez seminaristas. Éramos onze ao todo, entre eles, estudantes de filosofia e teologia.

Uma semana antes da chegada do Santo Padre os dois monsenhores, mestres de cerimônia do Vaticano, estiveram em São Luís e ensaiaram conosco a cerimônia no altar  montado no Aterro do Bacanga. Em seguida fomos à costureira para as medidas das túnicas nas quais seríamos revestidos para a celebração. Daí em diante era só expectativa... pura expectativa... Às pressas, lembro-me que ao comprar os sapatos, comprei-os um número menor... e logo após a Santa Missa, em meio a multidão, tirei os sapatos, presentei-os a um diácono amigo e fui descalço para o seminário... (Risos) .Estava tão feliz que nem me importei do fato de estar calçado ou descalço no retorno ao seminário...

1991 a 2010 = 19 anos



Deixando a modéstia de lado, vou registrar os momentos

em que tive a oportunidade de estar com o 

Papa João Paulo II.

Foto: Domingo à noite: Chegada do Papa à Igreja de Santo Antônio - São Luis -Maranhão.

 

 
 Foto: Papa móvel: parou defronte a porta principal da Igreja de Santo Antônio.

Primeiro Encontro:

Quando João Paulo II chegou ao aeroporto em São Luís, dirigiu-se no papa-móvel à Igreja de Santo Antônio... Dentro da Igreja já tinha uma equipe de repórteres da Rede Globo preparada para o evento. Era um domingo à noite e a matéria foi levada ao ar, ao vivo, durante o Programa do Fantástico. Na Igreja de Santo Antônio, estavam os bispos, os padres, os seminaristas, os religiosos e religiosas de São Luis. Todos nós estávamos portando um documento entregue pela polícia federal, chamado de "credencial." Só podia entrar na Igreja com a apresentação desse documento.
Foi grande a minha emoção ao ver pela primeira vez um Papa tão próximo a minha pessoa. Meu primeiro encontro - de perto - com João Paulo II.

Minhas Credenciais

Esta credencial deu-me acesso à entrada na Igreja de Santo Antônio


Esta 2ª credencial deu-me acesso ao altar onde o Papa presidiu  a Santa Missa

Segundo Encontro:  

No outro dia, pela manhã, os 11 seminaristas se dirigiram ao Aterro do Bacanga... Lá chegando, depois de revestidos com a túnica litúrgica, um dos monsenhores do Vaticano, nos colocou perfilados, um ao lado do outro e nos apresentou ao Santo Padre. Nesse momento os onze seminaristas, um a um, beijou a mão do Sumo Pontífice.
Meu segundo encontro com Joaõ Paulo II.

Terceiro Encontro

 Eu, (responsável pelo turíbulo, recipiente onde se põe as brasas acesas) e o Frei Franklin ,(responsável pela naveta, recipiente onde se coloca o incenso), fomos convidados por um dos mestres de cerimônia do Vaticano a adentrarmos na Sacristia onde se encontrava o Papa João Paulo II. Ao chegarmos à Sacristia o Santo Padre estava se preparando para vestir os paramentos. Aproximamo-nos dele ... em seguida ele nos perguntou a que “Ordem” nós pertencíamos. Frei Flanklin, respondeu: sou Frade Capuchinho, e eu respondi: sou seminarista diocesano. O Papa nos olhou e disse-nos: “Jovens do futuro, rezem pela nossa Igreja!”

Em seguida, o mestre de cerimônia pediu-me para levantar o turíbulo e o Santo Padre tirou o incenso da naveta e o colocou no turíbulo abençoando-o. Como a fumaça começou a sair... tivemos que nos retirar da sacristia.
Meu terceiro encontro com o João de Deus!!!

Quarto Encontro: 

No momento da Santa Missa, durante o ofertório, aproximei-me do altar com o turíbulo, levantei-o um pouco diante do Santo Padre e ele colocou o incenso no turíbulo. Em seguida ,entreguei o turíbulo ao diácono e ele o entregou ao Santo Padre. Permaneci no altar, enquanto o Santo Padre incensava as ofertas, o altar e o crucifixo grande ao lado do altar.
Meu 4º encontro com o Papa...

Fotos em sequência no momento do ofertório

Obs.: Estou próximo a cadeira Papal (à esquerda).


Obs.: Estou próximo a cadeira Papal (à esquerda) fazendo o gesto da “vênia” ao Papa, que significa “reverência”.

Nessas três foto, eu estava segurando o Turíbulo, - à esquerda, próximo ao microfone - enquanto o Diácono segurava a Naveta, e o Papa tirava o Incenso da Naveta para colocá-lo no Turíbulo.

Momentos marcantes...


Momentos Emocionantes...
Quinto Encontro: 

No momento da Sagrada Comunhão, os onze seminaristas dirigiram-se ao local da distribuição da Sagrada Eucaristia, e por ordem de tamanho – entre os onze – fui o primeiro seminarista a receber Jesus das mãos do Santo Padre.
 
Ambas as fotos mostram a minha pessoa comungando com o Papa, sendo que a segunda foto destacada com um círculo focaliza mais nitidamente a minha pessoa.



Foto oficial tirada pelo fotógrafo do Vaticano, Arturo Mari, que passou meio século ao lado de seis Papas, fotografando-os.Como comprovante da veracidade desta foto, veja os escritos e o selo oficial do Vaticano contido no verso da mesma.
Arturo Mari
Padre Meireles residia no mesmo seminário em que eu morava. Durante os preparativos de sua ordenação presbiteral, colaborei com alegria naquilo que estava ao meu alcance...
Quando o Papa esteve em São Luís do Maranhão, Pe. Meireles encontrava-se em Roma. Certo dia, Pe. Meireles foi visitar a exposição de fotos da visita do Papa ao Brasil. Nesta visita, ele encontrou minha foto, comprou-a e enviou-me pelos Correios. Foi uma grande surpresa esse presente que Pe. Meireles me deu (confira o agradecimento de Pe. Meireles à minha pessoa na foto acima). 

Foto da Ordenação do Pe. Meireles. Acolitei na cerimônia de ordenação deste santo sacerdote.

A foto acima foi enviada pelo Pe. Meireles a minha pessoa logo quando chegou a Roma. Leia os escritos acima - letra do Pe. Meireles.

(Esta foto foi no momento em que Dom Paulo Pontes ungia as mãos sacerdotais do Pe. Meireles no momento de sua ordenação. Nesta cerimônia eu estava auxiliando o Bispo, segurando o livro que continha a cerimônia de ordenação presbiteral.)
Sexto Encontro

Após a Santa Missa, o Monsenhor... que acompanhava o Santo Padre, novamente nos reuniu – um ao lado do outro – para nos despedirmos de João Paulo II.
Nesse momento todos nós cumprimentamos o Santo Padre e ganhamos dele um terço.

Este terço eu o guardo com muito carinho. Seu valor é inestimável. 
Obs.: No momento da homilia (sermão) nós, os onze seminaristas, ficamos sentados um ao lado do outro ouvindo a pregação do Santo Padre. Aconteceu que o seminarista que estava responsável pelo báculo do Papa, estendeu sobre nossas pernas esse símbolo do Pastor e nós tivemos a oportunidade de olharmos à vontade o báculo que João Paulo II conduzia em todas as celebrações litúrgicas por onde ele andava.


Estive muito perto de um homem santo, que ao qualquer momento ,o Papa Bento XVI, poderá anunciar a beatificação dele e, posteriormente, a canonização. Jamais irei esquecer esses dias.
Sou e continuarei sendo grato a Deus por tamanha bondade.



Ao término da Santa Missa, o Santo Padre cumprimentou aos Padres concelebrantes, e no meio deles encontrou, abraçou e beijou a cabeça de um Sacerdote com 90 anos. Chamou-me a atenção esse bonito e acolhedor gesto paternal do Santo Padre.
 


No outro dia: Saída do Papa do Centro Teológico do Maranhão, acompanhado de Dom Paulo Pontes, Arcebispo de São Luís – MA


Papa-móvel se dirigindo ao aeroporto...

Continuação da viagem ao aeroporto...



Governador do Maranhão presenteando o Santo Padre...

Santo Padre se dirigindo ao avião...

Fotos do material que comprova a veracidade dos depoimentos acima:


Fitas de Vídeo passadas para um CD

Terço presenteado pelo Papa






Só para finalizar...


Eis o Altar que foi preparado pelo povo do Maranhão para que o Papa pudesse celebrar o augusto sacrifício da Santa Missa. Atualmente, este palco é usado com os eventos da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão.



Esta foto foi no momento em que João Paulo II encerrava a Santa Missa com a bênção final.

Turma,
Nas festas do meu aniversário natalício, gosto muito de recordar esses momentos em minha vida. E hoje, qquero compartilhar essa alegria com todos vocês. Valeu!!! Um abraço!!!
Lusmar Paz.
---------------------------------------- 

LINGUA PORTUGUESA
OS SETE PECADOS MORTAIS DA CRASE
(10.12.2009)
Causa pior impressão indicar crase, quando não existe, do que não indicá-la, quando existe.
A prática nos tem mostrado que há sete casos em que a crase não pode acontecer, de modo algum, tornando-se a indicação da mesma não só absurda, mas até ridícula.
Para facilitar a memorização desses sete casos, resolvemos chamá-los, liberalmente, de “Os Sete Pecados Mortais da Crase”.
Parta sempre do fato de que só pode haver crase se pudermos provar que a preposição “A” e o Artigo “A(S)” se encontraram e se subrepuseram.

 I PECADO – ANTES DE PALAVRA MASCULINA

Ex.: Ele está no Rio a serviço.
Esse “a” é apenas uma preposição.
Não existe o artigo “a” sobreposto a ela, porque é absurdo admitirmos um artigo feminino diante de uma palavra masculina.

II PECADO – ANTES DE ARTIGO INDEFINIDO

Ex.: Chegamos a uma boa conclusão.
Esse “a” é apenas uma preposição.
Não existe o artigo “a” sobreposto a ela, porque é absurdo admitirmos que se usem um artigo definido e um artigo indefinido ao mesmo tempo e diante de uma mesma palavra.

III PECADO – ANTES DE VERBO

Ex.: Fomos obrigados a trabalhar.
Esse “a” é apenas uma preposição.
Não existe artigo sobreposto a ela, porque não se emprega artigo antes de verbo.

IV PECADO – ANTES DE EXPRESSÃO DE TRATAMENTO

Ex.: Trouxe uma mensagem a vossa majestade.
Esse “a” é apenas uma preposição.
Não existe artigo sobreposto a ela, porque, em português, não se emprega artigo antes de expressão de tratamento.

Nota:
Quando falamos em expressão de tratamento, referimo-nos, exclusivamente, às formas diante das quais se costuma usar o possessivo “sua” ou o possessivo “vossa”.
Ex.:
Majestade: Sua Majestade, Vossa Majestade.

V PECADO – ANTES DE PRONOMES PESSOAIS, INDEFINIDOS E DEMONSTRATIVOS.

Exs.: Não rebelarei a ela.
Direi isso a qualquer pessoa.
Não me refiro a esta carta.
Os três “as” anteriormente propostos são apenas preposições.
Não existe artigo sobreposto a elas, porque, em português, não se emprega artigo antes de pronomes demonstrativos, indefinidos ou pessoais.

VI PECADO – QUANDO O “A” NO SINGULAR E A PALAVRA SEGUINTE ESTÁ NO PLURAL.

Ex.: Referimo-nos a moças bonitas!
Esse “a” é apenas preposição.
Não existe artigo sobreposto a ela, pois se existisse, estaria no plural (para concordar com o substantivo “moças”) e o “s” final dele ficaria aparecendo.

VII PECADO – QUANDO, ANTES DO “A”, EXISTIR PREPOSIÇÃO.

Ex.:Compareceram perante a justiça.
Esse “a” é apenas artigo.
Não existe a preposição “a” sobreposta a ele, visto que a presença da preposição “perante” repele a presença da preposição “a”: seria absurdo empregarmos duas preposições ao mesmo tempo e diante da mesma palavra!
Nota:
A preposição “até” admite, facultativamente, a presença do artigo: “Fomos até a margem” ou “Fomos até à margem”.

Autor: Prof. Edson de Oliveira.
--------------------------------------------------------------------------------------------


1. COMO FALAR EM PÚBLICO

Medo de falar em público é um fator comum de stress para a maioria das pessoas, que por vezes faz quase o impossível para evitar ficar nesta situação. Mas mesmo que trabalhemos sozinhos, é necessário falar em público para resolver os problemas ou pedir ajuda.
Se quiser ir mais longe na sua carreira e ter uma função de gestão e liderança, terá de falar em público frequentemente para pequenos grupos ou grandes audiências, para ter sucesso na sua função.
No entanto, como falar em público não tem de ser uma tarefa que provoque stress e pânico se conhecermos as causas escondidas deste desconforto. Pode até acontecer começar a gostar da experiência e se sinta cada vez mais confortável e realizado.

Como falar em público aprende-se

A primeira coisa que precisamos saber é que aprender como falar em público não é uma tarefa impossível para quase todos seres humanos. A verdade é que é uma característica que pode ser trabalhada, com maior ou menor dificuldade e ser dominada por toda a gente. Haverá sempre pessoas que são melhores do que outras, como em qualquer actividade, mas não é impossível para ninguém conseguir aprender como falar em público corretamente.
Um dos erros mais comuns é precisamente o da comparação com oradores que são brilhantes. São pessoas que sabem como falar em público de uma forma natural, que transparecem calma, alegria e que nos podem deixar com a auto estima em baixo se nos compararmos com eles. Mas se pensarmos sempre assim, então não fazemos nada na vida, porque há sempre alguém que é muito melhor do que nós numa determinada área profissional ou social.
Portanto, foque-se em ser razoável, porque assim conseguirá afastar os medos de falar em público. Se quiser melhorar a partir daí, então terá de treinar mais e conseguirá atingir um nível mais avançado.
Normalmente, estes oradores profissionais são pessoas que têm milhares de horas de treino e de prática, mesmo assim pode apostar que no início a sua qualidade não era a que demonstram na atualidade. Por isso a regra é, praticar o mais que puder.

Quando falar em público, simplifique.

Outro dos pensamentos errados que temos é pensar que é necessário ser uma enciclopédia ambulante para saber como falar bem em público. Nada de mais errado… Terá obviamente de saber o que está a falar, de preferência melhor do que a sua audiência, mas não necessita de pesquisar horas e horas por material para falar que depois se torna demasiado denso e aborrecido. Procure tornar a informação o mais simples possível, para atingir o maior número de pessoas. Obviamente que isto não se aplica a apresentações formais e acadêmicas que têm mesmo de ser densas e aborrecidas…

Não é necessário agradar a todos

Por melhor que seja o orador, é impossível agradar a todas as pessoas da audiência. Há sempre quem se vá embora mais cedo, ou que adormeça, ou que não goste da forma como decorreu a apresentação. Não deve cair no erro de apenas falar em público com o propósito de agradar a todas as pessoas.
O propósito de falar em público é passar a sua visão sobre determinado assunto, mesmo que seja contrário a algumas pessoas que o estão a ouvir. Mesmo em situações em que tem de vender um produto ou uma idéia nunca conseguirá a unanimidade.
Basta ver o exemplo na política, onde estão algumas das pessoas que melhor sabem como falar em público. Nunca houve nenhum político, por mais brilhante que fosse, que conseguisse ganhar as eleições com 100% de votos a favor e nenhum voto contra.

Usar o humor em público

Todos os oradores têm estilos diferentes, mas existem dois fatores importantes quando se faz uma apresentação em público. O humor e a humildade.
O humor é de explicação óbvia, porque todos nós gostamos de ser entretidos por alguém e rir é um dos melhores remédios. Tem apenas de ter cuidado para não sair do seu registo e tentar impressionar com argumentos que não domina. Se não costuma contar anedotas em privado, provavelmente não será bem-sucedido em público. Use o humor que costuma usar quando está com os seus amigos.
Ser humilde significa que não deve tentar parecer um ser perfeito (porque não existem). Conheça as suas limitações, faça humor com as suas fraquezas (desde que não o deixem desconfortável). Isto fará com que se crie um laço com a audiência que será benéfico para a sua apresentação.
Aqui ficaram algumas dicas para o ajudar a perder o medo de falar em público, mas sem dúvida que a melhor forma de aprender é, conforme já se disse, treinar em todas as oportunidades.
Em casa, quando está com familiares, tome a palavra e discurse sobre algo que lhes queira transmitir. Quando está com amigos, pode também fazer uma apresentação espontânea sobre como correu o seu dia, ou qualquer outro assunto que ache que pode ser interessante para eles. Leia as notícias regularmente para ter sempre um assunto interessante para falar.
Se quiser ir mais longe e aprender mais a sério, tire um curso profissional que ensina como falar em público. O importante é praticar em todas as oportunidades que encontrar.
______________

2. Como Falar Em Público

Carlos Ribeiro
Se alguém lhe pedir que faça uma palestra em público, qual será a sua reação?
Se você for como a maioria das pessoas (comigo incluído), entrará simplesmente em pânico!
E será que possamos melhorar os nossos dotes oratórios?
Claro que sim! Basta aprender alguns pormenores.

PRINCÍPIOS

Tal como um locutor ou repórter de rádio, o saber falar em público tem o seu treinamento baseado essencialmente em:
  1. Saber falar com o nariz levemente empinado
  2. Saber colocar a voz. Ou seja, aprender o ritmo adequado à sua expressão, de maneira a soletrar bem as sílabas, nunca comendo as últimas sílabas
  3. Saber colocar bem as "ênfases", ou seja, travar levemente o ritmo de expressão, puxando a voz um pouco para os ouvidos, para poder acentuar bem alguns pontos dos seus argumentos. Em Rádio, chamamos isso de "fraseio" ou "frases de ouro", as quais se aplicam muito, por exemplo, na feitura de jingles ou spots
Também deverá ter em conta dois pontos fundamentais: a "Preparação" e a "Apresentação". Pois, ambas são muito importantes. Senão, vejamos:

ESCOLHA DO ASSUNTO

Deve escolher bem o assunto, o qual deve ser um tópico sobre o qual você tenha opiniões bem firmes. A única maneira de nos sentirmos à vontade diante de uma platéia, é entender da matéria que vamos apresentar, e, sobretudo, acreditar naquilo que tentamos transmitir. Escolha bem um assunto que interesse diretamente aos seus ouvintes, e adapte a eles a sua mensagem.

ORGANIZAÇÃO

Organize com lógica os seus argumentos. Mas você precisa de engendrar um ponto de partida (geralmente uma descrição sumária do assunto que vai falar). Depois, um corpo de texto que enumere os pontos principais, e, por fim, um final que resuma toda a sua expressão.

ENSAIO

Depois de tudo bem planeado, você vai precisar ensaiar a melhor maneira de transmitir o assunto aos seus ouvintes. Se for possível, será melhor ensaiar sozinho em frente a um espelho.
Procure então visualizar a platéia. "Veja" e "ouça" as reações positivas que irá encontrar. Se tiver a ajuda de um microfone, atire só a voz para o microfone, se não tiver "atire" só a voz para o fundo da sala - como se faz, por exemplo em teatro.

NATURALIDADE

Se o discurso for muito longo, é quase impossível conseguir que a leitura pareça espontânea. Nos seus apontamentos, reduza ao mínimo as suas anotações. E, mesmo assim, com poucas palavras.
Tome atenção: quanto menos você recorrer às anotações, tanto melhor comunicará com o seu auditório. Seja natural e faça amizade com o seu público. Dê preferência a termos simples e a frases curtas.
Além disso, não deixe de olhar para o público e de manter com ele um contato visual. Procure fisionomias simpáticas e não ligue a qualquer expressão do tipo "enjoado".

DESLIZES

Haja sempre com naturalidade e segurança. Se por acaso você se aperceber que cometeu algum deslize, não tente emendar.
Se por acaso se esquecer do que ia dizer a seguir, guarde consigo esse segredo, pois, os outros não o vão saber, a menos que você o diga. Em vez disso, repita o seu último argumento para permitir a si mesmo uma pausa, ou então, siga para outro tópico.
A sua intervenção deve ter um objetivo forte. Durante todo o tempo concentre-se e não disperse a sua atenção.

FINALIZAÇÃO

Não espere demasiado tempo para terminar. Acabe antes que o auditório se sature.

PALAVRAS CURTAS (regra de ouro)

Não existe nenhuma lei que diga que se deva usar palavras compridas quando se fala. Existem palavras pequenas que se podem aplicar para exprimir o que se quer dizer.
Pode ser que a gente leve um pouco mais de tempo para as encontrar, mas quase sempre vale a pena. As palavras curtas são concisas, eficazes, vão diretamente ao assunto. Como uma faca. E têm um encanto muito próprio: dançam, ondulam e cantam.
Palavras curtas podem encerrar grandes pensamentos e exibi-los para que todos os entendam. Essas palavrinhas movem-se facilmente, enquanto as grandonas ficam atoladas. Ou, pior ainda, atrapalham aquilo que queremos dizer. Não existe muita coisa que as palavras curtas não consigam exprimir - e bem!
Carlos Ribeiro - Marina Grande/Portugal
*Jornalista, Escritor e Teleconsultor da Home Page Auto-ajuda, em Portugal
 ____________ 

O escritor não deve ter medo de escrever. 

“A luta contra o erro tem algo de Homérico.
Durante a revisão eles se escondem, fazem-se
positivamente invisíveis.
Mas assim que o livro sai, tornam-se visibilíssimos ,
verdadeiros sacis vermelhos a nos botar a língua em
todas as páginas. Trata-se de um MISTÉRIO que a Ciência
não consegue decifrar”.    

                                   Monteiro Lobato
------------------------------------------------------- 
PENSAMENTO DA SEMANA
"Tu me dizes, eu esqueço.
Tu me ensinas, eu lembro.
Tu me envolves, eu aprendo."
(Benjamim Franclin)
-------------------------------------- 


2 comentários:

JOSENI disse...

FELIZ ANIVERSÁRIO!!
PARABÉNS!!
SAÚDE E PAZ!!
QUE DEUS TE PROTEJA HOJE E SEMPRE!!

www.twitter.com/josenidelima

www.idbrasil.org.br blog@josenidelima

André Paulino disse...

Feliz aniversário, amigo Lusmar. E parabéns pelo blog.