Dois pensamentos aos leitores e leitoras deste blog.

Dois pensamentos de boas-vindas aos leitores e seguidores deste blog:
- Mesmo que vivas um século, nunca deixes de aprender!!!
- O importante não é saber tudo, e sim, nunca perder a capacidade de aprender!



quinta-feira, 1 de setembro de 2011

               


BENTO XVI.jpgIntenções do Santo Padre Bento XVI para o  mês de SETEMBRO
INTENÇÃO GERAL:

A grande e difícil tarefa de educar:
Por todos os professores, para que saibam
transmitir o amor  à verdade e educar
segundo valores morais e  espirituais
autênticos.
INTENÇÃO MISSIONÁRIA:

Que as comunidades da Ásia dêem
testemunho do Evangelho
Para que as comunidades cristãs,
disseminadas pelo  continente  asiático,
proclamem o  Evangelho com fervor e
testemunhem a   beleza  deste através
da  alegria  da sua fé.

* * * *
Todos os meses o Papa confia suas
intenções ao apostolado da oração. Esta
iniciativa é seguida por milhões de
fiéis em todo mundo.

Igreja no Brasil celebra o Mês da Bíblia /2011 -  com o estudo do Livro do Êxodo
                                                                              
  “Desconhecer as Escrituras é desconhecer o Cristo”, com essa frase, de São Jerônimo, que a Igreja celebra, nesse mês de setembro, o Mês da Bíblia. Neste ano, o estudo proposto pela Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), será o Livro do Êxodo, capítulos 15,22 a 18,27, que é conhecido como o “Livro da Travessia”.

O Mês da Bíblia tem como tema “Travessia, passo a passo, o caminho se faz”, e o lema “Aproximai-vos do Senhor”.

 O presidente da Comissão para a Animação Bíblico-catequética e arcebispo de Pelotas (RS), dom Jacinto Bergmann, escreveu uma mensagem para toda a comunidade cristã que celebra o Mês da Bíblia.
Dom Jacinto pede que todos procurem viver intensamente o esse mês, em todas as comunidades cristãs espalhadas pelo território nacional. “Que bom que temos um Subsídio elaborado pela Comissão para a Animação Bíblico-catequética, que, usado em nossos Grupos Bíblicos, nos ajudará a conhecer e interpretar, a comungar e orar, a evangelizar e proclamar a Palavra de Deus e assim caminharmos sempre mais para uma verdadeira animação bíblica da pastoral, formando entusiastas discípulos missionários de Jesus Cristo”, destacou.

 O Subsídio

 O Subsídio apresenta vários textos para estudo, reflexão, oração e prática para o Mês da Bíblia de 2011. Não pretende dizer tudo, mas apontar pistas para o trabalho individual e comunitário. Foi pensado como material de apoio, isto é, traz elementos informativos a serem desenvolvidos posteriormente e indica também roteiros práticos, que podem orientar grupos de reflexão e leitura orante sobre o assunto.
 Leia abaixo a íntegra da mensagem de dom Jacinto Bergmann, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética da CNBB.

 Mês da Bíblia

 Mês de Setembro para a nossa Igreja no Brasil já é, por uma bonita tradição, sinônimo de MÊS DA BÍBLIA. O grande São Jerônimo, presbítero e doutor, cuja memória celebramos no final do mês de setembro, dia 30, nos motivou desde o início e motiva ainda hoje para a dedicação do mês de setembro inteiro para ser o da Bíblia. Sabemos da importância do trabalho bíblico de São Jerônimo realizando a tradução da Vulgata; e sua frase é emblemática: “Desconhecer as Escrituras é desconhecer o Cristo”.

Também já é uma bonita tradição, a CNBB, através da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, oferecer um tema para o Mês da Bíblia para o estudo, a reflexão, a oração e a vivência da Palavra de Deus. O tema pode girar ou em torno de trechos bíblicos, ou de um Livro bíblico, ou até de um conjunto de Livros bíblicos. A escolha do tema para o Mês da Bíblia deste ano de 2011, concentrou-se no trecho do Livro do Êxodo, capítulos 15,22 a 18,27, que é conhecido como o “Livro da Travessia”. É necessário olharmos as etapas da travessia desértica do Povo de Deus, saindo do Egito e buscando a Terra Prometida: as dificuldades enfrentadas pelo Povo de Deus, tanto os problemas da natureza, quanto os desafios oriundos pela convivência humana, criaram a necesidade de enraizar e vivenciar a fé, a esperança e o amor em Deus. Queremos aprender com o Povo de Deus a realizarmos a nossa travessia de discipulado e missão. Eis, pois, o tema tão propício para o Mês da Bíblia de 2011: “Travessia, passo a passo, o caminho se faz”. Mas, o fundamental em tudo isso, é estar próximo ao Senhor Deus. Assim, do capítulo 16, versículo 9, é tirado também o lema: “Aproximai-vos do Senhor”.
 Vamos viver intensamente o Mês da Bíblia em todas as nossas comunidades cristãs espalhadas pelo território nacional. Que bom que temos um Subsídio elaborado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, que, usado em nossos Grupos Bíblicos, nos ajudará a conhecer e interpretar, a comungar e orar, a evangelizar e proclamar a Palavra de Deus e assim caminharmos sempre mais para uma verdadeira ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORAL, formando entusiastas discípulos missionários de Jesus Cristo.
 Dom Jacinto Bergmann,
Arcebispo de Pelotas e Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética.
                                                Fonte: Catolica Net
                                               
Pastoral da Comunicação
                                                      ----------------------------------


Semana da Pátria
Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald

Embora devêssemos amar e servir ao nosso País durante os 365 dias do ano, saudamos ufanamente a Semana da Pátria, como oportuno ensejo de avivar o nosso patriotismo e aprofundar-lhe o verdadeiro sentido e alcance. Nenhum brasileiro sincero deixará passar a Semana da Pátria e, em especial, a sua data máxima no dia 7 de setembro, sem cobrar renovada consciência dos seus deveres cívicos. Desta forma, os justos atos e festejos comemorativos serão manifestações de uma honesta atitude permanente, e serão acompanhados de fervorosas preces pela prosperidade da nação e do povo brasileiro. Para os cristãos autênticos, que não podem separar fé e vida, consciência e ação, doutrina e comportamento, o patriotismo não é algo acessório ou secundário, mas é uma das maneiras necessárias de praticar a justiça e a caridade fraterna. Não há, portanto, bom cristão, que não seja também ótimo cidadão e patriota.
Mais uma vez, a ocorrência da Semana da Pátria nos faz refletir, à luz do Evangelho e da fé, sobre a verdadeira raiz e as exatas exigências do patriotismo. Em que irá consistir o nosso patriotismo? Será principalmente no empenho sincero e constante por edificar uma pátria correspondente aos planos de Deus e capaz de ser uma preparação e prefiguração da pátria que há de vir. Isso exige doação, trabalho, honestidade de governantes e governados, existência e cumprimento de leis justas, primazia do bem comum sobre as vantagens particulares, justiça e ordem. Exige especialmente fraternidade alicerçada no respeito e no amor. Precisamos construir mais pontes e menos muros que nos aproximem uns dos outros, fazendo desaparecer as desigualdades, as discriminações, os rancores e a violência.
O patriotismo como consciência nacional, como amor e interesse pela pátria, como empenho generoso pelo progresso do país, como afeto brioso e prontidão ao sacrifício – não é só uma virtude cívica, mas uma verdadeira virtude cristã. Vivemos um momento onde avultam gravíssimos problemas e deficiências que não podem ser obscurecidos pelo entusiasmo da festa do Dia da Pátria. Pelo contrário, eles devem ser corrigidos para um maior brilhantismo dessa importante data. Para um homem sensato e realista, a festa de 7 de setembro torna-se excelente oportunidade para um estudo atento dos erros e acertos de nossa vida como Nação. Os fatores que limitam a liberdade plena do povo e retardam o desenvolvimento do País além de enfraquecer o espírito patriótico são: toda espécie de corrupção, impunidade, todo tipo de violência, a falta de justiça para todos, a exploração dos pobres e especialmente dos menores, a disseminação desenfreada do narcotráfico, a falta de emprego, a falta de moradia digna, aposentadorias inadequadas, a inoperância do sistema público de saúde, a inacessibilidade a uma educação de boa qualidade etc. Todos esses fatores ameaçam a liberdade do povo e até a estabilidade da Nação Os políticos precisam com urgência respeitar os princípios éticos e morais no desenvolvimento de sua função, algo que inclua a obrigação de apurar os fatos referentes à corrupção atual, identificando os responsáveis, aplicar leis que exigem uma exemplar punição para os corruptos e promover o ressarcimento do dinheiro ilicitamente desviado É assim que vamos respeitar a Pátria. Que Deus abençoe o Brasil.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB, Reg. NE1
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza
Pastoral da Comunicação
------------------------------------------

Bento XVI pede orações pelos educadores e cristãos na Ásia

Nicole Melhado
Da Redação


Arquivo
Neste mês de setembro, a intenção missionária do Papa é pelos cristãos da Ásia
O Papa Bento XVI pede para que, neste mês de setembro, todos os católicos rezem, de modo especial, "por todos os professores, para que saibam transmitir o amor à verdade e educar segundo valores morais e espirituais autênticos".

Num recente encontro com professores universitários, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Madri, Bento XVI pediu a eles que não percam o encanto pela verdade e não se esqueçam que o ensino não é simples transmissão de conteúdo, mas formação de jovens, a quem devem compreender e amar e ser para eles estímulo e fortaleza.

Cristãos na Ásia 

E na intenção missionária, o Santo Padre pede "para que as comunidades cristãs espalhadas no continente asiático proclamem o Evangelho com fervor, testemunhando a beleza com a alegria da fé".

“Na Ásia, os cristãos são minoria e as comunidades são muitas vezes dispersas, são pequenas e numericamente insignificantes se comparadas com a grande maioria de budistas, no caso do Camboja”, conta padre Alberto Caccaro, missionário por 10 anos no Camboja.

O padre missionário salienta que jamais considerou essas estatísticas um problema e que sua experiência no país asiático lhe mostrou que, mais que números, é preciso pessoas com fé.

“Existem muitas comunidades dispersas, comunidades de minorias, mas isso não quer dizer que são comunidades fracas, de fato, a fé não precisa de números, a fé precisa de corações crentes e, portanto, de pessoas que buscam constantemente o Senhor”, destaca o sacerdote.

---------------------------------------------






Um comentário:

George Castro disse...

Paz, não esqueci de você. Estou sem câmera fotográfica, a minha quebrou. Vou mandar tuas fotos assim que puder!
OBS: As fotos da visita do Papa João Paulo II em São Luís, já são as mais acessadas do meu blog.
George - São Luís-ma